terça-feira, 30 de novembro de 2010

Grandes Azes do Passado

(Reprodução de jornal)
Clique na foto para ampliá-la
Ano 1950 – Equipe de voleibol e basquetebol do Serviço de Geografia e Estatística, considerada uma das mais fortes da época e composta dos seguintes atletas: em pé, a partir da esquerda: José Vilela, Raimundo Barata e Lourival; agachados (esq) Paulo Torres e Altair.Os dois grandes incentivadores que aparecem com a equipe são os velhos pioneiros do esporte amapaense Clóvis Pena Teixeira (de óculos à esquerda) e Kleper Mota (dir).
O local era a praça Barão do Rio Branco, onde se realizavam os grandes encontros entre as equipes principais, em disputas de torneios e campeonatos.

Foto e dados extraídos do Jornal AMAPÁ de 08 de novembro de 1978.
(Contribuição dos amigos Aluizio Teixeira e sua prima Carmem Laura)

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Bons Tempos da Escola Normal de Macapá

(Reprodução/Arquivo pessoal)
Clicar na imagem para ampliá-la
FOTO 1 - Ano 1962 - Minha turma quando faziamos o Curso Ginasial na antiga Escola Normal de Macapá.
Agachados: da esq. para direita: Consolação Côrte, Jorge Mont'Alverne, Sônia Del'Tetto (c/ a mão no rosto), Ercília Mendes e (eu) João Lázaro.
Em pé: Graça Ramalho, Oriza Alencar, Nazaré; atrás (cabelo na testa) Shirley Santana, Regina Maia (na frente), Julio Barriga, Dea Soares (na frente), ao lado dela (de branço) Profª Annie Viana da Costa, era a Diretora da escola na época; (a mais alta) Carmem Chagas, (ao lado) Rosa Costa, (na frente) Admilsan Menezes; (atrás dela, só o rosto)Nilza Negrão, Marlene Rodrigues, Maria José Gomes, e as duas da frente Lucimar Silva e Sandra Nicolay.
Reprodução/Arquivo pessoal)
Clique na foto para ampliá-la
Foto 2 - (Os mesmos e mais alguns componentes que não aparecem na primeira.)
Sentadas: Graça Ramalho, Regina Maia, Carmem Chagas, Maria Antonia e Admilsan Menezes.
Na fila mais alta: Íris Cavalcante da Silva, Maurício Bandeira, Antonio Redig, Sônia Del'Tetto, José Abreu; Júlio Barriga (na frente da coluna), Jorge Mont'Alverne e (eu)João Lázaro.
Da esquerda: Oriza Alencar, Ercília Mendes (segurando o braço),Nazaré,  Maria Célia Cavalcante da Silva, (atrás)Shirley Santana, Nilza Negrão (olhando por cima), Lucimar Silva, Sandra Nicolay, Rosa Costa (atrás), Déa Soares; Maria Madalena Henrique da Silva, Consolação Côrte e Rosa Souza.

sábado, 27 de novembro de 2010

Residência do Governador

(Reprodução/Acervo: Museu Histórico do Amapá)


Clique nas imagens para ampliá-las
Ano 1945 - Residência do Governador do Amapá, na época de Território Federal.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Abertura da Av. Feliciano Coelho

(Reprodução)
Clique na imagem, para ampliá-la
Ano 1952 - Abertura da Av. Feliciano Coelho e construção da sede do Trem Desportivo Clube.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Força jovem, filhos da terra

(Reprodução)
(Clique na imagem para ampliá-la)
Ano 1978 - Vemos nesta foto os jovens: Ronaldo Bandeira (de óculos) à esquerda; Carlos Teixeira (de braços cruzados - filho do Sr. Leopoldo Teixera - o Teixeirinha); na frente à direita, Ivanildo Pontes (filho do Sr. Chico Noé e irmão do professor e deputado Antônio Cordeiro Pontes).
Todos filhos de pioneiros de Macapá.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Nos bons tempos do Aeroclube de Macapá

(Reprodução/Acervo Fernando Remedios)
Clique na foto para ampliá-la
Esta foto retrata um dos momentos do carnaval no antigo Aeroclube de Macapá, nos anos 1964 ou 1965.
(É uma contribuição dos amigos José Façanha e Fernando Remedios) 
O registro fotográfico raro apresenta jovens pioneiros de Macapá:
Reconheci de pronto: (agachados) o Zamba (à esq.) e o Álvaro (Mascarado) ao lado dele (à dir.).
(O Zamba - ex-atleta de basquete e irmão do profº de educação física, Ernesto Dias Neto. E o Álvaro (Mascarado) não lembro o nome de família.)
O amigo José Façanha nos ajuda na identificação - mas também não se lembra do nome do Álvaro.
(Se alguém souber, por favor, nos informe nos comentários).
Ele informa que o primeiro à esquerda é o Ubimar (irmão do Ubiraelson), depois do Façanha vem o (profº) Edgar Tostes; depois o Fernando, (dentista pernambucano que passou uma temporada por Macapá e namorava a Rosemeire, irmã do Tinilo), e o último é o Luiz Lavor Benigno, ( irmão do (profº) Tinilo e que casou com a jovem Iracema, filha do Sr. Newton Cardoso).
O profº Francisco Lavor Benigno (Tinilo),  foi um dos diretores do Colégio Amapaense, irmão do Roberval Cavalcante, (aviador aposentado e baterista do Conjunto Os Cometas) filhos do Sr. Benigno Cavalcante – ex-funcionário das Casas Pernambucanas.

sábado, 20 de novembro de 2010

Encontro de líderes e pioneiros: Janary Nunes e Dom Aristídes Piróvano

(Reprodução)
(Clique na foto para ampliá-la)
Ano 1954 - Neste raro e histórico encontro temos dois líderes pioneiros do Amapá.
À esquerda, em seu impecável terno branco, vemos Janary Gentil Nunes - primeiro governador do Amapá e ao seu lado a simpática figura de Dom Aristídes Piróvano - primeiro Bispo Prelado de Macapá, de 1955 a 1965.

O primeiro, líder do Poder Executivo Territorial e o segundo líder da Igreja Católica Apostólica Romana, em Macapá.

Janary Nunes - Nasceu em Alenquer, Pará, em 1º de junho de 1912.
Em 1943, foi nomeado primeiro governador do Território Federal do Amapá.
Deixando a chefia do executivo do Amapá em 1º de fevereiro de 1956, assumiu dois dias depois a presidência da Petrobras, já no governo Juscelino Kubitschek.
Em dezembro de 1958, deixou a presidência da Petrobras.
Foi embaixador do Brasil na Turquia em 1960.
Em 1962, elegeu-se deputado federal pelo Amapá, passando, posteriormente, a dedicar-se à iniciativa privada.
Faleceu no Rio de Janeiro, em 15 de outubro de 1984. (Fonte)

Dom Aristídes Pirovano nasceu em Erba, Itália em 1915.
Foi bispo católico italiano, membro do PIME (Pontifício Instituto das Missões Estrangeiras).
Foi o Primeiro Bispo Prelado de Macapá.
Dom Aristídes Pirovano foi ordenado padre em 20 de dezembro de 1941.
Recebeu a ordenação episcopal no dia 13 de novembro de 1955, das mãos do Bispo Montini, futuro Papa Paulo VI, e de Dom Gaetano Pollio, PIME e Dom Mario Civelli, PIME.
Faleceu em 1997, na Itália. (Fonte)

(Última atualização em 19/01/2011 às 22h48min.)


sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Dupla de Pioneiros: Veridiano e Hamilton Silva

(Reprodução/Acervo da família Cherfen de Souza)
Clique na imagem para ampliá-la
(Foto: Contribuição da amiga Veneide Souza, filha de Veridiano)
Anos 50 - Sr. Veridiano Souza e Hamilton Silva (com a bicicleta). Ele mesmo...o piloto.
Foto tirada no interior do Estádio Municipal Glicério de Souza Marques.
(Atualização em 19/11/2010 às 06h27min.)

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Crianças brincam na praça

(Reprodução/acervo Museu Histórico do Amapá)
Clique na imagem para ampliá-la
Final da Década de 40 - Crianças aproveitam o intervalo das aulas e brincam em frente à escola, na praça Veiga Cabral.
No mesmo prédio, reformado e ampliado.

(Reprodução/Acervo Museu Histórico do Amapá)
Clique na imagem para ampliá-la.
Ano 1946 - Alunos em atividade de recreação, na praça Veiga Cabral, em frente à escola.
Essa escola pública localizava-se onde hoje é parte do terreno da biblioteca "Elcy Lacerda".
Atualizado em 18/11/2010 às 06:23 h

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Uma pioneira da Educação Amapaense: Professora Esther da Silva Virgolino

(Reprodução/Imagem/Arquivo pessoal)
(Clique na imagem para ampliá-la)
Ano 1978 - Professora Esther da Silva Virgolino - Uma das pioneiras da Educação do Amapá.
Formou-se em Normalista, em 1931, pela Escola Normal do Amazonas, e integrou o primeiro grupo de professoras normalistas, contratadas pelo Governo do então Território Federal do Amapá que lá chegaram em 1948/1949.
Esther Virgolino trabalhou no Posto de Puericultura Iracema Carvão Nunes (ao lado do Barão do Rio Branco), na Escola Doméstica de Macapá (atual Irmã Santina Rioli), Escola Normal de Macapá (Instituto de Educação, atual Faculdade Estadual do Amapá) e Escola Industrial de Macapá (atual Escola Estadual Antônio Cordeiro Pontes)
Esther Virgolino era prima legítima da também pioneira Raimunda da Silva Virgolino (a Virgó - conhecida professora por passar provas orais na Escola Normal e IETA).

sábado, 13 de novembro de 2010

Area externa Lateral Norte da Fortaleza de Macapá antes de ser aterrada

(Reprodução)
Clique na imagem para ampliá-la
(Foto: Acervo Coleção Digital/IBGE)
Anos 50 - Aspecto da área externa lateral direita da Fortaleza de São José de Macapá, antes do aterro.
Nota-se que a margem do Igarapé da Fortaleza chegava bem pertinho da parede do forte.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Vista da Fortaleza de São José a partir do Estaleiro de Macapá

(Reprodução)
Clique na foto para ampliá-la
(Foto: Acervo/Coleção Digital/IBGE)
Anos 50 - Foto tirada do local onde estava erguido o Estaleiro de Macapá, contruído pela Governo territorial e administrado pelo SERTA - Serviço de Navegação do Território do Amapá.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Rua da Praia no início do Século 20

(Reprodução)
Clique na foto para ampliá-la
Ano - 1910 - Vista da Rua Beira Rio ou Rua da Praia vendo-se ao fundo a Fortaleza de São José de Macapá.
Esta foto extraída do Relatório do Governador do Pará, Dr. Augusto Monte Negro, é da mesma época das fotos da praça da Matriz com o lampião da praça, e do lado norte da Praça São Sebastião, conforme posts anteriores.
Da para se observar como a vegetação do rio chegava bem pertinho das residências o que deixa claro a dedução de que a maré lavava toda a frente das casas.
Nessa época ainda não existiam o Estaleiro nem o Hotel Macapá, que foram construídos após o advento do Território Federal do Amapá.
Até a criação do Território Federal do Amapá, em 13/09/1943, as terras amapaenses eram administradas pelo Governo do Estado do Pará.
A partir daquela data, com a criação do Território, as terras amapaenses passaram para o domínio da União Federal, com administração do governo do Território.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Bons tempos da RE

(Reprodução de jornal/acervo João Silva)
Clique na foto para ampliá-la.
Equipe da Rádio Educadora São José de Macapá que cobriu o Carnaval de 1973.

Da esquerda para a direita: J.Ney, Ernani Motta, Edinete Morais, Hélio Pennafort, Luiz Roberto Borges (Maritubinha), João Silva e Sebastião Oliveira.

(Foto: Contribuição do amigo João Silva, via e-mail)

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Aspectos da Doca da Fortaleza

(Reprodução)
Clique na imagem para ampliá-la
(Foto do Acervo/Coleção Diogital/IBGE)
(Foto 1)
Ano 1950 - Embarcações na Doca da Fortaleza antes do aterro.
Atualizada em 14/06/2010 às 02;14 h
(Reprodução)
(Foto 2 )
Clique na imagem para ampliá-la
Ano 65 - Doca da Fortaleza vendo-se as canoas próximas a antiga Casa Beiruth N'América.
(Reprodução)
( Foto 3 )
Clique na imagem para ampliá-la
Ano 65 - Doca da Fortaleza vista da Forte.
(Reprodução)
(Foto 4)
Clique na imagem para ampliá-la
Ano 1960 - Canoas na Doca da Fortaleza nos portos das madeireiras.

sábado, 6 de novembro de 2010

A Praça da Matriz há 1 Século

(Reprodução)
Clique na imagem para ampliá-la e visualisar melhor
Ano 1910 - Praça da Matriz de São José de Macapá.
Observe que, nessa época - início do século 20 - o templo só tinha uma porta e a praça era iluminada por um lampião.
O lampião ficava quase no meio da praça São Sebastião, onde hoje está erguido o Teatro das Bacabeiras, no lado sul da Praça Veiga Cabral.
Nota-se que ainda não existia a avenida Mário Cruz dividindo a praça.