quinta-feira, 30 de abril de 2015

Foto Memória da Cidade: Turma do Banco do Brasil

Outra foto de Derossy Araújo, compartilhada pelo amigo Marcio José Araújo da Silva.
Antigos servidores do Banco do Brasil, em frente à Agência, em Macapá, da Av. Coronel Coriolano Jucá, com rua Cândido Mendes, em Macapá-AP
"Vou nominar da esquerda para a direita: Ciro Anaice de Oliveira - Antônio Carlos Farias de Souza (Capinha ou Farias) - Paulo Armando Del Castilo Andrade - Jonas dos Santos Banhos - Vagner Duarte Mendes - Benedito Alves de Sá (Sazinho) - Abraão Andrade Uchoa (atrás do Sá) - Christiano Kzam - Derossy Araújo da Silva - Adelman Barros Cardoso (gerente) - Pedro Ricardo Köeler da Cunha (o mais alto) - Inspetor (não lembro o nome) - João Barbosa Mota (subgerente) - José Maria Marques Ferreira - Adilson Araújo (o mais exímio datilógrafo que conheci) - Antônio Carlos Brito de Lima." (Márcio José Andrade da Silva)

Obs: Identificados com ajuda do Christiano Kzam e Sávio Kzam
Fonte: Via Facebook

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Foto Memória Musical: Conjunto "Os Cometas" toca em show do The Brazilian Bitles, em Macapá

Em 1966, o grupo musical brasileiro The Brazilian Bitles, fez duas apresentações em Macapá. Uma nos salões de recreio da Piscina Territorial para uma seleta plateia, em evento patrocinado pelo Country Club Equatorial, e outra para o público no Estádio Municipal Glycério de Souza Marques. Depois desses eventos, o renomado conjunto nacional nunca mais voltou a tocar em Macapá.
O registro fotográfico fixa o momento em que os rapazes de “Os Cometas” estavam no palco do glicerão, tocando músicas de seu repertório.
O baterista Roberval Benigno usou a bateria personalizada do conjunto visitante.
A partir da esquerda: José Assunção (trumpete); Célia (vocal); por trás dela parece o rosto do NandoSpíndola (Sax); atrás dele Sebastião Mont'Alverne(guitarra solo); Roberval (bateria); Joacy (Crooner); e Pedro Altair (guitarra).
O amigo Aluísio Cantuária lembra bem, que "Os Cometas" tocaram antes do Brazilian Bitles e foram bastante aplaudidos. 
Lembra, também, que um dos hits cantado pelo Nando foi "O Chorão", do Paulo Diniz, sucesso naqueles idos de 1966.
Clique no play e relembre o sucesso no original:

Leia também
Atualizado às 22:30h

terça-feira, 28 de abril de 2015

Um Jogo de Inteligência: Leônidas Platon X Paulo Torres

Membros da diretoria do Clube de Caça e Pesca Amazonas, jogam uma partida de xadrez, na área onde seria construída a sede social do clube, próximo à Vila Amazonas, à margem esquerda do Rio-Mar.
No local, eram realizadas aos finais de semana, reuniões domingueiras, para churrascos, jogos recreativos e tudo mais que pudesse ser feito para uma boa vida ao ar livre.
Nas imagens de 1965, tiradas de um recorte da Revista ICOMI/Notícias, vemos, em primeiro plano os pioneiros Leônidas Platon e Paulo Torres.
Ao fundo, entre outros não identificados, vemos o jovem Aurílio Lima.
Fonte: Revista ICOMI/Notícias Edição de Agosto/1965
(Via Facebook)

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Bons Tempos de Criança!!!

Encontrei esta foto, no Facebook da amiga Gilka Soares. E, com a devida permissão dela, compartilho agora com os leitores do Porta-Retrato. 
A partir da esquerda: Déa Soares, Emídio Rola, Gilka Soares e Miguel Ângelo. 
Foto tirada em 1953, na casa onde Gilka nasceu, e que existe até hoje, na esquina da Rua Eliezer Levy com a Av. Presidente Vargas. 
Foi no dia do aniversário de 8 anos da Déa, irmã dela.
Gilka tinha 3 anos.

Indaguei sobre os outros irmãos: Déa mora em Macapá. "Emídio faleceu em 1988, Miguel reside em Macapá, é Técnico Agrícola do Estado. Guilherme que era músico é professor do Estado, mas no momento, afastado, em tratamento de saúde; mora numa casa ao lado da casa da mamãe, na Presidente Vargas. Sérvula, a caçula. é funcionária da Justiça Federal, em Macapá" (Gilka Soares)

domingo, 26 de abril de 2015

Foto Memória de Macapá: Alunas da Escola Doméstica de Macapá

Mais uma imagem rara compartilhada pelo amigo Sebastião Ataíde de Lima.
Alunas que estudavam, em regime de internato, na antiga Escola Doméstica de Macapá, devidamente uniformizadas, reunidas em frente ao estabelecimento.
Registro histórico publicado no Jornal Amapá nº 468, em  13 de setembro de 1953.
Resumo histórico - Fundada em 1944, a Escola Doméstica de Macapá, foi instituída com a finalidade de formar jovens para o desempenho das tarefas domésticas e desde a sua fundação, sempre foi mantida pelo poder público.
A Escola Doméstica de Macapá foi desativada ainda no período do Território do Amapá. 
No ano de 1964, a Escola Doméstica foi transformada em Ginásio Feminino orientado para o trabalho, visando favorecer um maior número de jovens.
Pelo Decreto de nº 30 de 28 de novembro de 1978, foi oficializado o novo nome da escola, que passou a se chamar Escola Santina Rioli em homenagem à religiosa missionária, pelo significativo trabalho desenvolvido  junto à comunidade escolar. (do Blog da escola)

sábado, 25 de abril de 2015

Memoria da Cidade de Macapá: Antiga Pracinha do Macapá Hotel

Hoje no Porta-Retrato uma raridade que toca de perto o coração de todos nós.
O amigo Sebastião Ataíde de Lima, compartilhou uma imagem noturna da antiga Pracinha do Macapá Hotel, recortada do Jornal Novo Amapá nº 1673, de 14 de abril de 1973.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Memória da Cidade de Macapá: O Pioneiro ARTHUR NEVES DO NASCIMENTO – Dono da antiga Farmácia e Drogaria Neves

A necessidade de implantação da infraestrutura do recém criado Território Federal do Amapá, desmembrado do Pará, através do Decreto-lei nº 5.812, de 13 de setembro de 1943, obrigou o primeiro governador a importar mão de obra de outros estados, principalmente do Pará.
Em meio à revoada de pioneiros estava o Sr. ARTHUR NEVES DO NASCIMENTO, um dos primeiros moradores da antiga Praça Teodoro Mendes, em frente ao Mercado Central.







Seu Arthur era Acreano de Brasileia onde nasceu em 04 de junho de 1911; foi para Belém na época da 2ª guerra mundial e trabalhou por algum tempo no Aeroporto de Val-de-Cãns. Ele também foi atleta de regatas do Clube do Remo. Seu Arthur era um cidadão muito reservado e de poucos amigos fiéis.


Em Belém, conheceu a Sra. Inezelina da Silva Nascimento com quem se casou e posteriormente, foram para o Amapá. Dona Inezelina, trabalhava numa fabrica de biscoito, na capital paraense. Em Macapá ela trabalhou como enfermeira da Maternidade e depois se tornou parteira, conhecidas como "curiosas" mas, segundo relatos, foi depois de mãe Luzia que ela se destacou, juntamente com Dona Raimunda Uchôa, mãe do Nando dos Cometas, falecida em 2013.
Ao chegar a Macapá, seu Arthur trabalhou como pedreiro na construção do Hospital Geral de Macapá, e na residência do governador, integrando a equipe  contratada por Janary Nunes.
Depois desse período inicial, Seu Arthur Neves do Nascimento montou a Farmácia e Drogaria Neves, na Av. Antônio Coelho de Carvalho, na Praça do Mercado Central, anexo à sua residência.
Cônscio de suas obrigações legais e responsabilidades fiscais, seu Arthur, buscou assessoramento de profissionais habilitados e disponíveis na cidade, tais como o também pioneiro, Bioquímico Rugatto Boettger que prestava serviços como Farmacêutico, enquanto Salomão Alcolumbre e Lourenço Almeida cuidavam da parte contábil do estabelecimento.
A Farmácia e Drogaria Neves funcionou até um ano depois do falecimento de seu Arthur, em 11 de março de 1974.
Dona Inezelina, nascida em 17 de junho de 1917, faleceu em 06 de agosto de 1994.
O casal não teve filhos biológicos. 
Apenas adotou o amigo Artur Neves do Nascimento Filho, que prestou as informações ao blog.


Artur Neves, é macapaense, tem 58 anos, Tec. em Agropecuária de formação, e tem uma prestadora de serviços em Macapá, onde reside, com a esposa, filhos e netos.

Fotos do acervo da família, gentilmente cedidas ao blog Porta-Retrato.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Memória da Cidade de Macapá: Prédio da antiga Superintendência de Abastecimento do TFA - SATFA

O prédio da foto - erguido em 1944 pelo Governo Janary Nunes - ficava com sua frente para a Av. Beira Rio, atual Binga Uchôa, entre Presidente Vargas e Coriolano Jucá, em frente à cidade de Macapá.
Eu lembro que, inicialmente, esse prédio serviu de sede para a Superintendência de Abastecimento do Território Federal do Amapá - SATFA.
Ao final do anos 60 – no governo do General Ivanhoé Gonçalves Martins – foi construída uma outra frente para a Rua Cândido Mendes, e feita uma grande reforma no barracão construído nos anos 40.
Depois disso – se não me falha a memória – funcionou lá também a COAP que depois virou COFAP e finalmente a SUNAB, até a mudança para a esquina da Av. Ernestino Borges com a Rua São José.
Salvo engano, também funcionou por lá a Cruz Vermelha do Amapá.
Com a instalação do Estado do Amapá, em 1988, os prédios do ex-Território, passaram para o patrimônio do Estado; e esse prédio, especificamente,  funcionou como sede da CEME – Central Estadual de Medicamentos, e depósito da merenda escolar; sendo depois  desativado, fechado, ficando o local abandonado em ruínas, por longos anos.
Quem souber de mais detalhes, por favor, pode nos informar pelo e-mail jolasil@gmail.com ou deixar comentários.
Em 2014, a administração anterior, chegou a anunciar, que pretendia construir no local, a Praça Paço do Fórum, em Macapá.
Mas, até o momento, nada foi feito lá.
Um projeto elaborado pela Agência de Desenvolvimento do Amapá prevê a construção de um corredor verde. 
Veja na imagem abaixo:
Em uma área urbanizada com paisagismo e jardins, os usuários terão acesso gratuito à internet, e poderão fazer um lanhe ou tomar um café, contemplando a vista do Rio Amazonas, na moderna lanchonete coberta.
O local servirá ainda para a realização de feiras culturais, pequenas exposições e atividades de grupos de idosos.
Os recursos serão provenientes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.
(Post repaginado em 2015)

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Morre em Macapá, o empresário George da Costa Araújo - o paraibinha

Faleceu nesta segunda-feira(20/4) no Hospital de Emergência, em Macapá, George da Costa Araújo, o paraibinha(72), ex-empresário de câmbio; ex-representante da Xerox do Brasil no Amapá; ex-presidente da Federação Amapaense de Basquetebol.
Segundo o último boletim médico, a morte de George foi devido falência múltipla dos órgãos, provocada por Diabetes.
George Araújo,  militou na política estudantil. Foi presidente do Grêmio Literário e Cívico Barão do Rio Branco, da Escola Normal de Macapá.
Segundo amigos, ele já vinha enfrentando sérios problemas de saúde. 
George era filho do seu Sales da antiga Loja “A Paraibana”, um dos pioneiros do Amapá.

"A Paraibana" situava-se na praça Veiga Cabral. 

O velório de George da Costa Araujo, o paraibinha, foi realizado na residência da família, na Procópio Rola, quase esquina da Tiradentes. O sepultamento foi na terça-feira(21) as 16h no Cemitério de Nossa Senhora da Conceicão, no Centro da Cidade.


Nossas condolências à família Sales.



Fonte: Memorial Amapá (WJr.)

Primeira Grande Agência do Banco do Brasil, em Macapá

Foto sem data da primeira grande agência do Banco do Brasil, no Centro de Macapá, atrás do antigo Fórum dos Leões (hoje sede da OAB/AP).
Esta foto, nos foi gentilmente compartilhada pelo amigo Márcio Andrade da Silva que, pra quem não sabe, é filho do casal amigo Derossy (Maria Lúcia) Silva. 
O Derossy é funcionário aposentado da instituição, e trabalhou nessa agência.
Segundo o historiador Nilson Montoril de Araújo, "antes dessa agência, o Banco do Brasil funcionou em dois outros locais. O primeiro, um prédio que tinha servido como residência para os prefeitos de Macapá até 1945, na esquina da Rua Siqueira Campos(Mário Cruz) com a Travessa Visconde de Souza Franco(hoje, a rua em frente a Escola de Administração Pública do GEA) e no Macapá Hotel."
(Atualizada às 21 horas)

domingo, 19 de abril de 2015

Memória da Cidade de Macapá: Av. Presidente Vargas

AV. PRESIDENTE VARGAS
Av. Presidente Vargas, entre as ruas Tiradentes e General Rondon, com as casas construídas pelo Governo do ex-Território Federal do Amapá, residências dos funcionários públicos, na década de 50.
As casas da esquerda eram de madeira de lei e as da direita, de alvenaria, com tijolos e telhas produzidos na Olaria Territorial.
Foto copiada do Livro "Macapá Querida", e compartilhada pelo amigo Márcio José Andrade da Silva.

sábado, 18 de abril de 2015

Memória da Cidade de Macapá: antigo Armazém Estrela

ARMAZÉM ESTRELA
Outro registro raro da memória da cidade de Macapá, dos anos 60, copiado do Livro "Macapá Querida" e compartilhado pelo amigo Márcio José Andrade da Silva, mostra a imagem do prédio do antigo Armazém  Estrela, de propriedade do pioneiro Antônio Pinheiro, que localizava-se na rua Cândido Mendes, entre as avenidas Pe. Júlio Maria Lombaerd e Mendonça Júnior, em pleno centro comercial de Macapá. 
O imóvel foi demolido, e em seu lugar foi edificada uma agência do antigo Banco Real, hoje Banco Santander. 
Pode-se observar na esquina da Cândido Mendes com o canal da Mendonça Júnior, um sobrado bem antigo, onde antes funcionou a Casa Potiguar e, algum tempo depois, foi instalada a Farmácia Central, do empresário Raimundo Anaice.
Via Memorial Amapá

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Memória da cidade de Macapá: Antigo Campinho da Matriz

Outra foto copiada do Livro "Macapá Querida", e compartilhada pelo amigo Márcio José Andrade da Silva.
O registro é do ano de 1959, com imagens do antigo campo de futebol, da Praça Veiga Cabral, tendo ao lado a estão barraca da Santa, onde eram, realizadas as programações sociais da Prelazia de Macapá, durante as festas de arraial.
Durante muitos anos este campinho serviu de local para treinamento dos clubes da casa dos padres, e também, de palco para as partidas de futebol, entre os primeiros clubes do futebol amapaense antes da inauguração do Estádio Glycério Marques.
Ao fundo, antigas casas da rua Cândido Mendes, com destaque para o prédio da Família Zagury, e ao centro, a casa do sr. Naftaly Mair Bemerguy.
Fonte: Do livro "Macapá Querida" 

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Memória da Cidade: Casario da antiga Praça Assis de Vasconcelos, em Macapá

Esta foto rara foi copiada do Livro "Macapá Querida", e compartilhada pelo amigo Márcio José Andrade da Silva
Trata-se de um registro do ano de 1932, em cujas imagens vemos o casario da antiga Praça Assis de Vasconcelos (atual Veiga Cabral), no centro histórico de Macapá, pelo lado da atual rua Cândido Mendes, tendo ao centro a Travessa Siqueira Campos (atual Mário Cruz), em direção ao Rio Amazonas.
Do Livro "Macapá Querida"

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Foto Memória do Esporte Amapaense; Atletas de Vôlei do Esporte Clube Macapá

 Registro raro sobre o Esporte do Amapá.
Atletas dos times de vôlei - masculino e feminino - do Esporte Clube Macapá, que brilharam nas quadras de Macapá, nos primeiros anos do ex-Território Fedral do Amapá.
Mais uma vez contamos com a ajuda da Prof. Zulma Carneiro, para a identificação dos seus colegas de clube.
(Foto do acervo de Bira Picanço repassada à Alcilene Cavalcante e publicada no Memorial Amapá)
Da esquerda para a direita:
Em pé: 4 - Rosemere Cavalcante; 12 - Avertino Ramos;  8 - Maria do Socorro Lavor Benigno; 11 - Propércio Oliveira; - 10 - Alzira Ribeiro; 6 - (ele) Edilson Borges de Oliveira; 6 - (ela) Zulma Carneiro e 8 - Armando Pontes.
Agachados: 3 – Maria Izabel conceição; 7 –(ele) Antônio Tavernar;  7 -  (ela)Terezinha Guedes; 5 – Ubiracy Picanço; 5 – (ela) Maria Cavalcante; 10 – Carlos de Andrade Pontes e 9 – Nazaré (não sabemos o sobrenome)
Fonte: Memorial Amapá

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Falecimento: Morre em Belém, Dona Raimunda Machado Pontes

Uma Pioneira de Macapá
Raimunda Machado
(Foto de Arquivo)
Faleceu na manhã de ontem (12/4) em Belém do Pará, Dona Raimunda Machado Pontes, contabilista, esposa de Carlos de Andrade Pontes, filha de Eugênio Machado e Maria Souza; estava aposentada do Governo do Amapá, tinha 86 anos de idade e deixou os filhos Denize e Antônio Eugênio, com quem morava na capital paraense.
Dona Raimunda era irmã da Prof. Amazonita, Tereza, Maria das Dores (Maricá) e José Hugo Machado.
Dona Raimunda Machado
Foto do Blog do João Silva
Raimunda Machado Pontes foi servidora pública competente e exemplar. Dentre outros cargos, na administração do general Ivanhoé Martins foi nomeada coordenadora da seção da municipalidade, órgão do Governo do Amapá que prestava assessoramento aos prefeitos municipais no tocante a prestação de contas dos recursos do município, orientando também na organização administrativa da municipalidade, numa época em que não existia Tribunal de Contas no Amapá.
Foi sepultada nesta segunda-feira(13), em Belém do Pará.
Nossas condolências à família enlutada.
Texto de João Silva, adaptado e atualizado para o Porta-Retrato.

Primeira frota de transportes de carga de Macapá

(Reprodução / Acervo da família Cherfen de Souza)
Clique na imagem para ampliá-la
(Foto: Reproduzida do álbum da família Xerfen de Souza -  Contribuição da amiga Veneide, filha do Sr. Veridiano Souza)
Anos 50 - Frota de antigos caminhões e caçambas oficiais para transporte de cargas no início do Território Federal do Amapá.
Esta foto foi tirada na Praça Veiga Cabral (em frente a antiga Usina de Força e Luz) na área onde hoje está erguido o Teatro das Bacabeiras. À direita aparece a parede da Igreja Matriz de São José.
Observem o traje impecável dos motoristas, entre eles Sr. Veridiano Souza, o primeiro à esquerda.
Na foto acima, também dos anos 50, não deu para identificar o local.
Foto compartilhada com o blog Porta-Retrato pelo amigo José Acelino Ferreira.
Será que alguém se lembra desses motoristas pioneiros? Se conseguir identificar deixe comentários.
(Repaginado em abril de 2015)

sábado, 11 de abril de 2015

Foto Memória da cidade: Centro Histórico de Macapá

O registro fotográfico de hoje, é uma ampliação, feita pelo Porta-Retrato, de uma imagem de 1960, que foi publicada em um jornal da época, destacando em primeiro plano uma casinha de telefone, que era utilizado pelos motoristas de carro de aluguel (Táxi), embaixo de uma das velhas mangueiras da Praça Veiga Cabral.
Clique na imagem para ampliá-la
Com o corte e a ampliação da imagem queremos destacar o cenário do centro histórico de Macapá, na parte sul, da velha Praça da Matriz, antes da construção do Teatro das Bacabeiras, a partir de 1984 até 1990.
Observe as casas antigas ao fundo da imagem, que hoje não existem mais.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Do Fundo do Baú: Dois Momentos de Raimundinha Pacheco.

Trago para os amigos leitores do Porta-Retrato, duas fotos de uma Pioneira de Macapá, que passou por lá, e deu sua contribuição para soerguimento e progresso daquela terra.
Tratam-se de dois momentos da jovem Raimunda Pacheco Magalhães (A Raimundinha como, carinhosamente, era chamada por seus amigos). 
São fotos (sem data) que foram compartilhadas pelo amigo Floriano Lima, diretamente de seu rico acervo, a quem nós agradecemos.
Segundo o amigo Raimundo Magalhães (Chefe Escoteiro, ex-goleiro do Juventus Esporte Clube e do São José, e atual Veterinário), Raimunda Pacheco, é casada com um médico, Dr. José Roberto Tibúrcio e mora em Goiânia. E o Magalhães, que não é parente biológico dela, mas é amigo do casal, garante que, ambos, são pessoas maravilhosas.
Na primeira foto Raimundinha está no pátio de estocagem de minério da empresa ICOMI, em Santana. Ela foi funcionária daquela empresa de mineração, e desenvolvia suas atividades profissionais na área de Saúde, como enfermeira.
Na segunda imagem, Raimundinha foi clicada, com uma amiga (não identificada), num dos antigos marcos da linha imaginária do Equador terrestre, que cruza a cidade de Macapá, e que, até hoje se constitui num dos pontos de atração turística da capital amapaense.

quinta-feira, 9 de abril de 2015

A antiga Vila do Mucajá

A Vila do Mucajá, que se situava no Bairro Santa Inês, surgiu de uma aglomeração de barracos de madeira, sem qualquer acompanhamento do poder público, principalmente pela absoluta falta de segurança, saneamento ou, no mínimo, de uma estrutura decente.
Digo situava, porque, pelo que sei, foi construído pela PMM, com verba federal, um conjunto habitacional para abrigar, de forma racional e humana, os antigos e numerosos ocupantes daquela conhecida e perigosa encosta, num dos bairros periféricos de Macapá.
Gostaria de saber se ainda tem alguém morando na antiga encosta?
(Foto de Ângelo Fernandes - Jornal do Dia)
Enquanto aguardo a resposta trago imagens que encontrei numa reportagem do Jornal do Dia, publicada em 16/01/2003, assinada por Ângelo Fernandes que também é o autor da foto, que nos dá a dimensão do perigo de insegurança e desabamento, que os moradores corriam.
Fonte: Jornal do Dia

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Baile das Debutantes de Macapá - 1963


Um dos grandes acontecimentos sociais de 1963, foi, sem dúvida, o Baile das Debutantes, realizado na sede do Aeroclube de Macapá(foto). 
Dezesseis moças, representando a melhor sociedade amapaense, desfilaram perante um público seleto, apresentadas pela colunista social Íris Cavalcanti. Ostentavam lindos vestidos, confeccionados por costureiros brasileiros. Depois da valsa com os pais, as debutantes dançaram com seus jovens pares e a festa teve prosseguimento até alta madrugada, ao som do conjunto do paraense Alberto Mota.
As moças foram chamadas, uma a uma, por Íris Cavalcanti e apresentadas à sociedade,  por ordem alfabética: Ana Tereza Rocha Araújo, Carmem Maria Monteiro Chagas, Elenir de Souza Picanço, Ionete Nery Cavalcanti Oliveira, Julieta Harb, Lindomar das Graças Matos, Maria de Nazaré Mendes de Souza, Marilena Mendes de Souza, Maria de Fátima Fernandes Lima, Margarida Maria Nascimento Gillet, Maria das Graças Vieira Viana, Maria Antônia das Graças Dias, Nelma Antônia Cavalcanti de Souza, Patrícia Jean Nicolai, Rosilene Guimarães Cavalcante e Tereza Diana Mendes Simões.
Fonte: Revista ICOMI-Notícias
Foto das Debutantes, acervo de Fernando Remedios (Via Facebook)
Post publicado inicialmente em 25/03/2013
Repaginado para troca de foto, em 08/04/2015

terça-feira, 7 de abril de 2015

Foto Memória Musical: Momento "Cometa" (5)

Os Cometas, baile na sede do Aeroclube de Macapá década de 60 tendo em primeiro plano os nossos amigos, Alberto e Salomão Alcolumbre, esta dupla nunca perdia uma festa dos Cometas.
Da esquerda para a direita: Sebastião, Joacy, Roberval, Espíndola, Luiz, Nando e Assunção.( Roberval Cavalcante)
Fonte: Facebook

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Foto Memória Musical: Momento "Cometa" (4)

Outra foto dos anos 60, do Conjunto Os Cometas, tirada em frente à casa do Roberval:
Da esquerda para direita: Luiz, Espíndola, Assunção, Ricardo Charone, Roberval, Pedro Altair, Nando e Muscula.
(Foto tirada de uma rede social - arquivo de Roberval Lavor Cavalcante)
Fonte: Facebook

domingo, 5 de abril de 2015

Foto Memória Musical: Momento "Cometa" (3)

"Fotos do Conjunto Os Cometas tiradas em 1962 com os seus verdadeiros fundadores: MUSCULA, ESPÍNDOLA, LUIZ, RICARDO CHARONE, NANDO, ROBERVAL o líder do Conjunto, PEDRO E ASSUNÇÃO. 
Esta foto foi tirada em frente a minha casa na Av. Coriolano Jucá, que ficava em frente ao Hotel Santo Antônio, onde aconteciam os ensaios diariamente... tempo bom em que tocávamos, exclusivamente. por prazer e também, na verdade, deixou marca nas festas e o tempo em que movimentou os anos sessenta. Hoje só traz recordações aos dançantes da Piscina Territorial, Círculo Militar, Amapá Clube, Sede do Trem, Aeroclube de Macapá, em Santana, Serra do Navio e no Esporte Clube Macapá onde aconteceu a primeira apresentação do grupo, como também tocávamos em várias festas de l5 anos de nossa sociedade." (Roberval Benigno Cavalcante - baterista, líder e fundador dos Cometas)

Fonte: Facebook

sábado, 4 de abril de 2015

Foto Memória Musical: Momento "Cometa" (2)

"Os Cometas" na  "Escola Industrial de Macapá".
Festa que aconteceu na "Escola Industrial de Macapá", em evento local, sob a animação de OS COMETAS, na década de 60.
Fonte: Facebook

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Foto Memória Musical: Momento "Cometa"

Festa Carnavalesca - Ano 1964 - Esporte Clube Macapá.
Da esquerda para direita: Walfredo; Pedrinho Marques; Espíndola (só parte da cabeça - atrás do Pedro); Assunção;Joacy Mont'Alverne; Luiz e Pedro Altair.
"Nas festas carnavalescas onde "Os Cometas" tocavam era casa cheia, onde todos curtiam até o sol raiar e sempre acontecia de pedirem para prorrogar mais um pouco e nós sempre atendíamos o pedido -Tempos bons não voltam mais, agora só lembranças. (Roberval Lavor Cavalcante - baterista, líder e fundador dos 'Cometas'
Fonte: Do Facebook

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Por uma boa causa, estudantes de Macapá ficaram, literalmente, “Em Cima do Muro”

Dois jovens amapaenses, - Itabaracy Nunes Batista e Deoci Mont’Alverne - quando estudantes, foram clicados em 1968, sentados em um muro branco. 
Como a foto, enviada pela amiga Graça Monteiro, não continha data, nem legenda, resolvi pedir para o próprio Itabaracy contar a história desse registro, raro e inédito. 
E ele respondeu: Eu e o Deoci estamos uniformizados no intervalo de aulas no muro do IETA, onde estudávamos. O ano é 1968.”

Não é 1º de abril, não: Eles ficaram, literalmente, “em cima do muro”.

Brincadeiras à parte... Deoci Mont’Alverne e Itabaracy Nunes Batista, são filhos de duas tradicionais famílias amapaenses.

Delcy – que hoje exerce a medicina em Macapá – é filho do delegado José Araguarino(falecido) e da Professora Helena Mont’Alverne;

Itabaracy – empresário da homeopatia, em Macapá, é filho do também delegado Francisco Aymoré Batista(falecido) e de Dona Stela Nunes Batista.


Fonte: Foto compartilhada pela amiga Graça Monteiro