segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Grupo Modelo Guanabara

Arquitetura inicial do Grupo Modelo Guanabara na rua Eliezer Levy esquina com Av.  Mendonça Furtado, em Macapá, nos primeiros anos de sua construção.  
O Grupo Modelo Guanabara surgiu, primordialmente, com a finalidade de atender aos alunos do curso fundamental, que residiam nos bairros mais próximos do centro da cidade. Posteriormente,  foi transformado em Escola de Aplicação Guanabara, e daí então, passou a funcionar como um Laboratório Pedagógico dos Formandos do IETA - Instituto de Educação do Território do Amapá: estudantes que recebiam a formação para o exercício do magistério.
(Foto: reproduzida do blog da Alcinéa)

domingo, 29 de setembro de 2013

Francisco Gonçalves de Araújo - Pintor / 88 anos de vida / 69 de Amapá


Francisco Gonçalves de Araújo, natural de Capanema, Pará, nascido em  30 de março de 1925, chegou em Macapá em 1944.
Casado com Maria Iolanda da Silveira Araújo, 4 filhos ( Caio Cesar, Andrea Carla, Augusto Cesar e Danielle Karen ), jogou pelo Amapá Clube,...
... foi vereador por Macapá e Administrador do Porto de Santana.
Araújo, hoje aposentado com 88 anos, continua residindo com a família, em Macapá.
Fonte: Fotos e informações gentilmente compartilhadas por Augusto Cesar Araújo, filho do homenageado.

sábado, 28 de setembro de 2013

Prof. Antenor Epifânio Martins - um mestre de muitas gerações

Antenor Epifânio Martins - Mais conhecido como Mestre Epifânio, foi educador da era territorial do Amapá. Nasceu em Capanema (Pará) em 7 de abril de 1925. Foi para  Macapá a partir de 1950, a convite do diretor do Esporte Clube Macapá, Climério Vilhena Andrade. Logo que chegou, iniciou sua vida esportiva no Macapá, e como mestre artífice passou a lecionar na antiga Escola Industrial, depois Ginásio de Macapá, Escola Integrada e atual  Escola Estadual Antônio Cordeiro Pontes.
Mestre Epifânio pode ser considerado um dos baluartes do esporte macapaense, juntamente com Pauxy Nunes, Glycério Marques, Emanuel, Isaac Menahem Alcolumbre e outros que militaram no setor. Mestre Epifânio defendeu as cores do Esporte Clube Macapá e do América Futebol Clube como atleta, tanto do futebol como também do basquete, nos idos de 1950 a 1961. Também foi juiz de futebol da Federação Amapaense de Desportos de 1959 a 1967. 
Mestre Epifânio (último à direita) como técnico de basquete da Seleção Amapaense de Basquete, na época do ex-Território. A partir da esquerda em pé: 1 e 2 não reconhecidos, 3-Mário Cutia, 4-Antônio Chagas e 5-Jorge Récio. Agachados: 1-?, 2-Antônio de Pádua (Patinhas), 3-Jorge Basessat, 4-Bola e 5 Zezão Ardasse.
Ele também chegou a ser técnico de times tradicionais como o Esporte Clube Macapá e alguns de Serra do Navio. Marcou presença nos jogos ginásio-colegiais de 1974 a 1976, como membro da Comissão de Disciplina.
De todos os estabelecimentos de ensino que passou, Epifânio fixou-se mais no antigo Ginásio de Macapá. Ele cita o governador Janary Nunes como criador o GM, e que de lá saíram os marceneiros, carpinteiros, artesãos, mestres de obra, todos profissionalizados da terra. "Pode-se até dizer, sem sombra de dúvida, que a maioria das micro e médias empresas do então Território do Amapá comportaram em seu quadro de funcionários, ex-alunos do GM; quando não, os próprios proprietários", concluiu. Como professor mestre Epifânio militou 25 anos no magistério do GM, que nos anos de 1966 a 1969 funcionou como Escola Orientada para o Trabalho. "Com a reforma da lei 4024 para 5692, a clientela do GM foi se diversificando, abrindo campo para o setor feminino, pois antes era uma escola de regime de semi-internato masculino."
Para Epifânio, a comunidade macapaense já não andava tão animada como nos anos 70. "Vale a pena lembrar que os primeiros desfiles escolares foram realizados na Fortaleza de São José de Macapá até 1951. A partir daí, eram feitos em frente à residência do governador. De 1962 para cá, passaram a ser realizados na Avenida FAB."
"O período da competição era tão bom, que a própria comunidade se envolvia, com várias torcidas como as do "colosso cinzento" ou "garapa azeda", atribuídos ao Colégio Amapaense; "Piramutabas" (lETA), "Bonequinhos de Anil" (Ginásio de Macapá). Os carros alegóricos nos desfiles eram poucos, mas as bicicletas, todas enfeitadas, ornamentavam as ruas de verde-amarelo, dando um multicolorido todo especial". Epifânio era possuidor de um arquivo de fotos raras e importantes.
Mestre Epifânio faleceu em Macapá em 23 de junho de 1999, vítima de problemas cardíacos.

Fonte: Biografia - Pesquisa  e texto do historiador amapaense Edgar Rodrigues, com adaptações, adequações  e atualizações, especiais para o Porta-Retrato.

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Do Fundo do baú : Os craques do Juventus Esporte Clube


Década de 60  - A formação de um dos primeiros times o Juventus Esporte Clube na época de ouro do futebol amapaense:


Da esquerda para a direita - em pé - Raminho, Wanderley, Cremildo, Biló, Branco e Célio; agachados, na mesma ordem: Pretote, Tico-Tico, Haroldo Pinto, Pereira e Orivaldo.
Faleceram Raminho, Tico-Tico, Pereira e Wanderley.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Heráclides Macedo instalou o Serviço de Alto-Falantes de Macapá

O Serviço de Alto-Falantes de Macapá - considerado o embrião da Rádio Difusora de Macapá - foi fundado na tarde de um domingo, 25 de fevereiro de 1945, na Praça Cap. Augusto Assis de Vasconcelos, (atual Veiga Cabral). 
A programação foi iniciada às 17h com a "Marcha Continental", música que serviu de prefixo musical (trilha sonora) para o Serviço de Alto-Falantes.
Paulo Eleutério Cavalcanti de Albuquerque, (foto acima) jornalista amazonense e Diretor do S.I.P., fez a apresentação dos equipamentos.
S.I.P. era o Serviço de Imprensa e Propaganda montado por Janary Nunes (primeiro governador do Amapá), para divulgar o programa de ação e desenvolvimento do governo territorial.

Heráclides Viana Macedo, em foto enviada de Belém do Pará, em 23 de junho de 1944, ao colega e amigo Duarte Moraes. Heráclides era técnico de rádio da Panair do Brasil (viação aérea da época), e foi quem instalou o Serviço de Alto-Falantes de Macapá, que foi o embrião da Rádio Difusora de Macapá.
A aparelhagem sonora foi instalada - num um estúdio provisório, no prédio da antiga Intendência - por Heráclides Viana Macedo,(foto) técnico de rádio da Panair do Brasil (empresa de viação aérea da época).
De lá era irradiado o som amplificado por dois possantes alto-falantes, tipo corneta, localizados na Praça da Matriz (antigo Largo de São Sebastião ou Largo da Matriz)e na Praça Barão do Rio Branco (antigo largo de São José),respectivamente.
A Rádio Difusora de Macapá só foi inaugurada, um ano depois, em 11 de setembro de 1946, no prédio próprio na rua Cândido Mendes.
Foto gentilmente compartilhada por Raimundo Wilson, filho de Emanuel Tarcilo Duarte Moraes, funcionário da Panair do Brasil e primeiro administrador do aeroporto de Macapá.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Exposição de animais

Anos 60 - Paulo Barbosa, filho do fazendeiro Antônio Barbosa, expondo a vaca leiteira premiada na Feira Agropecuária do Território Federal do Amapá, durante a Exposição de Animais e Produtos Econômicos, na Fazendinha.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Um Encontro Histórico

Registro histórico do Jornal Combate edição de 1990, sendo compartilhado pelo amigo Paulo Tarso Barros.
A partir da esquerda: empresário Manoel Costa, pioneiro Belarmino Paraense de Barros (fundador do Trem Desportivo Clube) e seu filho (administrador e cantor) Celso Mariano de Barros, que foi Diretor do Porto de Santana, quando este era administrado pela Companhia das Docas do Pará. 
Celso hj trabalha em Icoaraci, Pará.
Segundo Osmar Marinho Filho  "a fotografia é de 1985, época em que o Manoel Costa encerrou o mandato dele como Presidente do Trem. O "seu" Belarmino foi convidado para conhecer a sede nova do Trem, na Feliciano Coelho." 

Fonte: Foto do acervo pessoal do escritor e amigo Paulo Tarso Barros, com informações extraídas do Facebook.


segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Nos tempos do Desfile na Praça Barão do Rio Branco

Nos primeiros anos do Território Federal do Amapá, os desfiles cívicos eram realizados na Praça Barão do Rio Branco.
Todos desfilavam diante do Palanque Oficial que era erguido na Av. Iracema Carvão Nunes, no trecho que divide as duas praças e termina no portão dos fundos da Residência Governamental.
Fotos reproduzidas do álbum do ex. Prefeito de Cametá nos anos 50, João Nilo de Andrade, quando ele esteve em visita à Macapá. 
Imagens compartilhadas com o blog Porta-Retrato pelo amigo Flavio Gaia, via e-mail.

domingo, 22 de setembro de 2013

Casais Pioneiros do Amapá

Mais duas fotos raras do álbum de relíquias do Sr. Emanuel Tarcilo Duarte Moraes, primeiro administrador do Aeroporto de Macapá.
A qualidade da imagem está um pouco prejudicada pelo tempo. Mas, segundo informações de dona Maria Tereza dos Santos Moraes, viúva de Emanuel, o casal é o Dr. Odilardo Gonçalves da Silva e esposa, no aeroporto da Panair do Brasil, em Macapá. 
Ele foi prefeito de Macapá no período de julho de 1944 a maio de 1945. 
Pode-se reconhecer ao fundo o casarão da Estação Telegráfica da Panair do Brasil que foi erguido no aeroporto de Macapá, durante a segunda Guerra Mundial.
Nesta segunda foto, em primeiro plano, o casal Sr. João Vieira de Assis e sua esposa dona Ninita (irmã da professora Guita), na metade dos anos 40, ao que parece na frente da cidade de Macapá, na beira do Rio Amazonas.
Seu João Assis era dono do Elite Bar, um movimentado estabelecimento, que ficava situado na Av. Presidente Vargas com a Rua São José, no início do Território Federal do Amapá.
Dona Tereza dos Santos Moraes, hoje com 85 anos, mora com um dos filhos, em Belém do Pará.

Fotos gentilmente compartilhadas pelo amigo Raimundo Wilson, filho de Emanuel Tarcilo Duarte Moraes.

sábado, 21 de setembro de 2013

Dona Leila Coelho - 88 anos bem vividos

Dona Leila Coelho Furtado Dias - filha de Guilhermina Furtado Carneiro e Maximiliano  Edmundo Coelho é natural do Pará, Ilha Caviana, Município de Chaves. Nasceu em 07 de setembro de 1925. Chegou, em Macapá em 1º de maio de 1948, levada por seu cunhado Mário da Silva Melo. Ela conta que estudou em uma escola que funcionava onde é hoje o prédio da Loja Maçônica "Duque de Caxias", na Av. Coriolano Jucá e que foi aluna de Gabriel de Almeida Café. Em 1951 foi levada por sua prima Maria Santos Sales para se empregar na fábrica do Flip Guaraná, dos Irmãos Zagury (Irza Refrigerantes Ltda), lá permanecendo até seu fechamento., nos anos 70. Segundo a amiga Sarah Zagury, que mora no Rio de Janeiro, filha do "seu" Isaac com a Dona Clemência, só quem sabia fazer a fórmula do Flip, - criada pelo médico farmacêutico José Zagury -   eram o pai dela e a Dona Leila, que também eram os provadores do Xarope. Dr. José Zagury, tio da Sarah e irmão mais velho de Isaac.

Depois do fechamento da fábrica, Dona Leila ficou em casa com a família, até se casar com o Sr. Casemiro Lino Dias, seu colega de emprego, que estava viúvo da primeira esposa. 
Após a morte de seu Casemiro, Dona Leila continua residindo com as filhas em Macapá, e completou no último 7 de setembro, 88 anos de vida e muitas saudades dos anos tranquilos da Macapá de outrora.

Fonte: (Depoimentos colhidos em conversa com Dona Leila, em junho de 2013, durante nossa estada em Macapá.)

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

O Pioneiro Laurindo dos Santos Banha - "Seu" Banha

Laurindo dos Santos Banha - nasceu no di1djaneiro de 1937filhde Joaquim LaurindBanhIsídia Rosa doSantos BanhaEstudou nos estabelecimentos escolaredMacapá. Com idade de 12 anos foi trabalhar ncomércio dD. Sarah RoffZaguryonde permaneceu durant44 anos, começandcommenino drecadosauxiliade balcão, vendedoradministrador do Bar Centralcontrolista dvendada Fábricdo Flip GuaranáresponsávepelAgência da AviaçãAéreCruzeiro do Sul e dConsórcio da Ford. Transformou-snum empregado de extrema confiançarespondendpelas atividadeda empresnausência dos proprierios. Terminou como sócio da firma.
Nande 1971 foeleitVereador do MunicípidMacapá, renunciando em dezembrdo mesmo ano. Participodfundação da antigCompanhiAmapaense de Telefonesdepois Teleamapáonde exerceu cargo dDiretor Financeiro e Conselheiro FiscalFoJuiz Classista njuntde Conciliaçãdo MinisridTrabalho e membro do Conselho Fiscal dCEASeu falecimento ocorrendi1de dezembro de 1988, aos 5anos de idade, deixandsaudosos suesposa DNaiDa Silva BanhaseufilhoNívia LúciaLuiz NeiNelbLene Lair Nilsonbecomo os demais parenteamigos.
Fonte: Livro "Personagens Ilustres do Amapá, Vol 1" - Edição 1997.
(Post repaginado em 20 de setembro de 2013)