sábado, 16 de janeiro de 2021

MEMÓRIAS DO ESPORTE AMAPAENSE: Associação Recreativa Padre Vitório Galliani

 Por Adriana Ayres

”Há exatamente 35 anos, no dia 15 de janeiro de 1986 os amigos Adalto Góes, Ademilson Pereira, Alcione Carvalho, José Pereira Sacramento, José Edivaldo Furtado, José Laércio dos Reis, José das Graças dos Santos Torres (Mata), José da Silva Santos, Manoel Torres, Neemias Dilermano, Paulo Cézar Nobre, Sebastião Balieiro, Antônio da Silva Santos e Joaquim Neto, os dois últimos já falecidos, todos ex-integrantes da JOT (Juventude Oratoriana do Trem) por acreditarem que um sonho sonhado junto é realidade, fundaram a Associação Recreativa Padre Vitório Galliani, com a finalidade principal de dar continuidade à vivência do esporte e à prática do bem comum adquiridos junto à Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, no bairro do Trem sob a orientação de Padre Vitório Galliani.

Porém, eles sabiam que em tudo o que fizessem a palavra sonho teria que vir acompanhada de uma série de fatores, além do desejo próprio. Era preciso ter uma estrutura preparada, um planejamento definido e adequado às condições no qual a associação se encontrava no exato momento de sua concepção. E algumas ferramentas indispensáveis trabalharam juntas com os 14 sócios-fundadores: a confiança, a perseverança, a determinação, a ousadia e principalmente a fé em Deus, que fizeram com que a entidade se consolidasse dentro da sociedade amapaense.

Ao longo destes 35 anos muitas mudanças ocorreram na Associação, algumas agradaram, outras nem tanto, porém acabaram servindo de aprendizado e também para solidificar ainda mais a entidade.

Hoje, a Associação Recreativa Padre Vitório Galliani é uma entidade bem estruturada e respeitada, mas que para chegar neste patamar, recebeu a contribuição de muitas pessoas amigas, além dos sócios. O trabalho dos presidentes também não pode ser esquecido, pois, sem eles o engrandecimento da Associação não seria possível.

Mas, não podemos esquecer que a finalidade principal de tudo isto sempre foi congregar os ex-integrantes da JOT e os veteranos do Ypiranga Clube, e dar continuidade à vivência do esporte e à prática do bem comum adquiridos junto à Paróquia de Nossa Senhora da Conceição.”

Fonte: Facebook

quinta-feira, 17 de dezembro de 2020

FOTO MEMÓRIA DE MACAPÁ: PRAIA DE FAZENDINHA, EM 1950

 

Outra foto histórica, inédita e rara, da praia de Fazendinha, em 1950, vendo-se em primeiro plano, barracas e banhistas no local preferido para piqueniques - principalmente pelos alunos das escolas - próximo a essa árvore.

Foto: Família Lobato Lopes (Arquivo Pessoal)

quarta-feira, 16 de dezembro de 2020

FOTO MEMÓRIA DE MACAPÁ: CASAS POPULARES PARA OPERÁRIOS DA CIDADE

Foto histórica inédita da década de 1950, com imagens das casas populares para residência de operários, construídas em Macapá, pelo Governo do ex-Território Federal do Amapá, no perímetro hoje ocupado pela Av. Raimundo Álvares da Costa, entre a ruas São José e Tiradentes próximo ao Cine Macapá, atrás da antiga Escola Industrial de Macapá, atual EE “Antônio Cordeiro Pontes”, no Centro.

Foto: Família Lobato Lopes (Arquivo Pessoal)


terça-feira, 15 de dezembro de 2020

FOTO MEMÓRIA DO COMÉRCIO AMAPAENSE: Primeira loja de “A Pernambucana”, em Macapá

Foto inédita datada de 1949, da primeira loja de “A Pernambucana”, em Macapá, que o Sr. Adaucto Benigno foi ser gerente. Ficava situada na descida da Rua Cândido Mendes, antes da Farmácia Serrano, enquanto era construído o prédio em alvenaria na Praça Veiga Cabral, inaugurado um ano depois, em 1950.

O Sr . Adauto, em frente à loja, conversa com um senhor de chapéu.

Com informações da família.

terça-feira, 1 de dezembro de 2020

LEMBRANÇAS: RELÓGIO DOS 500 ANOS, EM MACAPÁ

O Relógio dos 500 Anos foi um relógio comemorativo aos 500 anos do descobrimento do Brasil, desenhado pelo designer austríaco Hans Donner. Em 1998, o relógio passou a ser exibido todos os dias, nos intervalos comerciais da Rede Globo, com o Horário de Brasília e os dias que faltavam para 22 de abril de 2000, quando se completavam os 500 anos.

Desenho

O disco do relógio continha a imagem do planeta Terra com o mapa do Brasil no centro. Os ponteiros que marcavam horas e minutos eram brancos e o ponteiro dos segundos era amarelo, com a forma de uma seta que apontava para o mapa do Brasil. Apenas cores presentes na bandeira nacional foram utilizadas.

Nas versões usadas nas cidades, o relógio feito de lona era colocado sobre uma base que continha um logotipo da emissora que transmitia a Rede Globo na região. Abaixo do disco que mostrava a hora certa, existia um contador digital que fazia a contagem regressiva para o dia 22 de abril de 2000. Abaixo do contador, a inscrição "500 Anos". A parte de trás do relógio trazia o logotipo da campanha da Rede Globo "Brasil 500 Anos". O mercado da moda incorporou a ideia com versões de pulso e de parede.

Réplicas nas cidades

Réplicas do relógio comemorativo foram instaladas em 28 cidades brasileiras. A primeira delas foi inaugurada em 31 de dezembro de 1997, na cidade de Porto Seguro (BA).

No dia 22 de abril de 2000, houve shows comemorativos em frente aos relógios. (Fonte: Wikipédia)

Em Macapá  AP o relógio ficou instalado em frente à cidade, às margens do Rio Amazonas, junto à entrada do Trapiche Eliezer Levy. Ilustrando essa matéria imagem do jornalista Édi Prado, tendo ao fundo, o Relógio dos 500 ANOS.    

domingo, 29 de novembro de 2020

LEMBRANÇAS: AMIGOS DE MACAPÁ

Amiga e colega de faculdade, Carmem Maia, aniversaria neste domingo (29) e recebe os parabéns de parentes, amigos e familiares!

Prof. Carmem, curte sua merecida aposentadoria, depois de muitos anos dedicados ao magistério amapaense.

Foi Secretária de Educação e Cultura do Município de Macapá, entre outros cargos.

Nossa Foto Memória de hoje tem nas imagens os amigos Rosa Costa, Júlio Barriga e Carmem Maia, num carnaval na década de 1960, na antiga sede do Aeroclube, em Macapá.

Boas lembranças!

Foto: Arquivo pessoal de Carmem Maia

Fonte: Facebook

sábado, 28 de novembro de 2020

FOTO MEMÓRIA: ROBERT LIVI, EM MACAPÁ

Registro fotográfico histórico, de 1965, com imagens do cantor Robert Livi no palco da Piscina Territorial, acompanhado pelo Conjunto musical “Os Cometas”, em um evento do Country Clube Equatorial, patrocinado pelo Lyons Clube de Macapá.

Ramón Roberto de Círia, conhecido artisticamente como Roberto Livi, foi um cantor, compositor e produtor argentino, que apareceu no Brasil, no tempo da Jovem Guarda.

Roberto Livi faleceu no dia 25 de janeiro de 2019, aos 76 anos.

Foto: Cortesia de Roberval Cavalcante (baterista de “Os Cometas”)

Entre outros sucessos Robert Livi lançou Tereza e Célia, que tocaram muito em Macapá.

MEMÓRIAS DO ESPORTE AMAPAENSE: Associação Recreativa Padre Vitório Galliani

  Por Adriana Ayres ”Há exatamente 35 anos, no dia 15 de janeiro de 1986 os amigos Adalto Góes, Ademilson Pereira, Alcione Carvalho, José ...