segunda-feira, 29 de julho de 2013

Colação do Grau do CA

Ano 1966 - Solenidade de Colação de Grau - Formandos do Colégio Amapense.
Na fila da frente as duas senhoritas da esquerda: Célia e Lenir; Na segunda fila estão Guilherme Jarbas, Sérgio Arruda e Paulo  Armando Andrade. Na terceira fila Carlos Nilson e Pedro Assis. Atrás do Pedro Assis está o prof. Geraldo Leite e atrás do Paulo Armando está o Cláudio Vasquez.

sábado, 27 de julho de 2013

Eleições em Macapá

Esta foto de 1985, é um registro raro de um momento da política do Amapá. 
A apuração da eleição do Prefeito Azevedo Costa, que aconteceu na sede do Lions Clube Macapá Centro.
Aparecem nas imagens a partir da esquerda: o empresário Pierre Alcolumbre, em conversa com o engenheiro e radialista Rodolfo Juarez (em pé) e o jornalista Antônio Correa Neto (falecido), ?, depois os jornalistas Paulo Silva e Aníbal Sérgio.
(Post atualizado em 7/08/2013)

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Concentração em frente ao prédio dos Correios e Telégrafos

Concentração em comemoração ao dia 7 de setembro de 1954, na Av. Coriolado Jucá, em Macapá, em frente aos Correios na Praça Barão do Rio Branco.
Foto tirada do alto de um aparelho de educação física que existia na praça, hoje desativado.
Foto tirada do alto da sede de Correios e Telégrafos, na Praça Barão do Rio Branco.
As fotos acima registram, em dois ângulos diferentes,  as concentrações em frente à sede do Correios e Telégrafos, no ano de 1954, para o hasteamento da bandeira, no mastro do sapo.
Os participantes estão perfilados na praça, vendo-se atrás o Palanque Oficial, em madeira, montado na rua Iracema Carvão Nunes, que divide a praça ao meio e termina no portão dos fundos da residência governamental, local em que eram realizados os desfiles. 
Ao fundo das imagens o prédio do então Grupo Escolar Barão do Rio Branco e seus anexos.
Nos primeiros anos do Território Federal do Amapá, que foi criado em 13 de setembro de 1943, os desfiles cívicos e escolares, eram realizados na Praça Barão do Rio Branco, com a participação maciça dos grupamentos da Guarda Territorial, Escoteiros e comunidade estudantil.
Posteriormente, foram transferidos para a Av. FAB, em frente ao Barão do Rio Branco e, depois para a Praça da Bandeira.
(Post repaginado em 26/07/2013)

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Primeira aeronave do Governo do ex-Território Federal do Amapá.

Esta foi a primeira aeronave do Governo do ex-Território Federal do Amapá.
Segundo depoimento do (*)Sr. Arlindo Oliveira, mecânico de aeronaves, em atuação naquele período, era um avião modelo Beechcraft Bonanza V36, de fabricação americana. Chegou em Macapá, procedente do Rio de Janeiro, no dia 11 de julho de 1951 às 12h30m, sob o comando do piloto Carlos Hanson trazendo como co-piloto o Tenente Antônio Guerreiro. O pouso foi feito na pista improvisada que ficava na atual Procópio Rola, numa área que compreende as avenida FAB e Raimundo Álvares da Costa, abrangendo o espaço hoje ocupado pela Prefeitura de Macapá, prédio do Hemoap e Palácio do Governo, além de toda a área, hoje destinada ao bloco de secretarias do governo do Estado, desde a Leopoldo Machado até a Rua General Rondon. O Hangar ficava onde hoje é Av. Procópio Rola.
(*) Arlindo Oliveira - Mecânico de Aeronaves - Pioneiro da aviação no Amapá, está aposentado, vive em Macapá; aos 82 anos de idade, tem muita história pra contar. Reportagem do jornalista Édi Prado Ribeiro.

terça-feira, 23 de julho de 2013

Reunião na Câmara de Vereadores de Macapá

Reunião na Câmara de Vereadores de Macapá.
Na plateia a partir da esquerda: na segunda fila Coaracy Barbosa, Antônio Costa, Clarck Platon, Dr. Mário Barbosa; na primeira fila estão Sr. João Espíndola Tavares, Sr. Ituassú Borges de Oliveira e Francisco Gonçalves de Araújo, o Pintor.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Entrada da Fortaleza de Macapá, nos anos 60

Entrada da Fortaleza de Macapá, nos anos 60. Naquela época ainda existia a rampa de terra que foi substituída posteriormente por passarela de madeira, como tem hoje.

domingo, 21 de julho de 2013

Vista aérea de parte da antiga Cidade de Macapá

A amiga Nara Chamblay postou no álbum Bela Macapá, no Facebook, esta foto histórica da vista aérea de parte da cidade de Macapá dos anos 50.
A partir da esquerda podemos ver um trecho da Av. Feliciano Coelho onde aparece a antiga sede do Trem Desportivo Clube e a Casa Duas Estrelas na esquina ao lado. Mais à esquerda a praça e a igreja de Nossa Senhora da Conceição, a antiga Escola Doméstica de Macapá, o Cine Paroquial, o Grupo Escolar Alexandre Vaz Tavares, com a frente a para a Av. Pedro Baião; as demais avenidas são Ataíde Teive e Henrique Galúcio. Ao centro da imagem - a área escura - ficava a antiga praça do sapo que depois foi transformada na Praça Floriano Peixoto. Notem que ainda não existiam as ruas Jovino Dinoá, nem a Odilardo Silva e nem esse trecho da Eliezer Levy. Na antiga José Serafim (atual Tiradentes), vemos a Casa Uirapuru, que deu origem ao Supermercado Fortaleza. Na rua São José, vemos a antiga Casa Califórnia, na área onde é hoje e Feira Municipal do Centro.

sábado, 20 de julho de 2013

Sociedade Esportiva e Recreativa São José

A Sociedade Esportiva e Recreativa São José é um clube esportivo da cidade de Macapá, fundado no dia 26 de agosto de 1946, é um dos principais clubes de futebol da capital amapaense.
Em pé: Wandeley, Alceu Filho, Toninho Costa, Piraca, Pennafort ( Macaco), Orlando Cardoso (Courru).
Agachados: Zé Airton ( Zé Buchinha), Deomir  Mont'Alverne, Orlando Torres, Moacir Banhos e Timbó.
Os primeiros títulos do tricolor vieram somente em 1970 e 1971, ainda na época amadora do futebol amapaense. De 1975 a 1988 foi uma época de mudança para o São José, quando conquistou campeonatos, inclusive, um invicto, no futebol, contando com um grande elenco de jogadores craques, muitos deles, cedidos para clubes de outras unidades da nossa federação brasileira.
 Em pe: Emanuel, Odilon, Alceu Filho, Antoninho Costa, Edmar e Pennafort.
Agachados: Sabará, João Coutinho (Cutia), Orlando Torres, Chopp e Haroldo Pinto.
Nos anos de 1988 a 1990, paralisou suas atividades no futebol, em virtude de dificuldades internas e externas. Em 1991 houve a implantação do profissionalismo no futebol amapaense, começando uma nova era no estado. Em 1993 conquistou o título de campeão amapaense. Disputou a Copa do Brasil de 1993, onde eliminou o Nacional de Manaus e foi eliminado nas oitavas pelo Linhares, ao perder por 3 x 2 em pleno Zerão.

Fotos reproduzidas do Jornal Tribuna Amapaense 

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Time de Jovens da Casa dos Padres

Mais uma raridade que nos foi compartilhada pelo amigo Lindoval Fonseca Peres. 
Trata-se de uma foto do time de jovens da Casa dos Padres, que disputavam o Campeonato Interno da Prelazia de Macapá.
Em pé: ?, Enildo Amaral, Nery?,?, Caouê e Mucuim (Estácio Vidal Picanço).
Agachados: Cadico, Ciro Coutinho, ?, Lindoval Peres e Adolpho Nery.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Juvenil do Esporte Clube Macapá

Campeão Juvenil de 1955
"A maioria desse elenco partiu para a formação do Juventus Esporte Clube. Disputou e venceu o Campeonato da 2ª Divisão, o que o credenciou a ascender à 1ª Divisão.  Com um melhor reforço de atletas, esse time despontou como uma das forças do futebol amapaense" (Lindoval Fonseça Peres)
Em pé: José Tavares de Almeida (Zequinha do Cartório Jucá), ?, ?, Rui Lacerda, Café, Gaivota, Titio e José Maria Nery.

Agachados: Juca, Biló, Lindoval Peres, Luiz Tavernard e Lelé.

Este registro fotográfico e raro e de grande valia para a história e a memória do futebol amapaense, foi gentilmente compartilhado pelo amigo Lindoval Fonseca Peres, que também prestou informações a respeito. Nossos mais sinceros agradecimentos pela colaboração.

terça-feira, 16 de julho de 2013

Guarany Atlético Clube

Guarany Atlético Clube, de Macapá, fundado em 1961.
Nesta foto - dentre os anos de 60 e 70 - vemos uma  das formações do Guarany Atlético Clube: Em pé da esquerda pra direita: Queiroz, Luiz Alberto Guedes, Jorge Gainete, Zeca, Silvio Castilho e Antônio Carlos. Agachados: Picanço, Messias, Abdon Lima, Océlio e Odilon.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Professora Nancy Nina da Costa - Pioneira da Educação do Amapá

A     professora Nancy Nina da Costa, uma das pioneiras da Educação no Amapá, nasceu na cidade de Alenquer (PA) em 30/08/1926, filha de Manoel José Nina da Costa e Ildebrandina de Oliveira Nina. 
Professora Nancy viveu sua infância em Alenquer e iniciou seus primeiros estudos na cidade de Óbidos (PA) cursando o primário no Colégio São José, e em seguida  formou-se como Normalista no Colégio Interno Santa Clara, em Santarém (PA). Depois de formada, e como o recém-criado o Território Federal do Amapá necessitava de professores, Nancy Nina foi para o Amapá. E o então governador Janary Nunes a contratou designando para atuar no município de Oiapoque, onde ela conheceu o agente estatístico da Divisão de Geografia e Estatística hoje IBGE, Antônio Rodrigues da Costa Junior com quem se casou em 13/06/1949. Dos quatro filhos do casal, três nasceram no Oiapoque: Antônio Manoel, Toninho Costa, Aroldo Mário e Aníoce Maria. Ayrton Mauro Nina da Costa, o caçula, nasceu em Belém".
Professora Nancy participou do Curso de Aperfeiçoamento para o Ensino Médio - C.A.D.E.S na área de  Geografia, onde poderia atuar nas quatro séries do Ginasial; aprimorou-se também no Ensino Rural,  em Psicologia e fez o Curso de Aperfeiçoamento para exercer o Ensino Primário e Ensino Médio. Depois de ter feito especialização pela CADES, teve melhoria salarial.
Retornando para Macapá, a família Nina da Costa fixou residência na Avenida Mendonça Furtado, atrás de Cemitério N. S. da Conceição, no bairro Central.  Nesse período os filhos de Nancy já estavam na pré-adolescência e adolescência e aí o controle era maior. A educadora não se prendia somente à sala de aula; ela gostava das atividades lúdicas e da cultura, tanto que criou um grupo folclórico no Bairro Central denominado "Canarinho", que na época junina ia de casa em casa tocando. "Tinha seu Amilar que tocava o banjo e cavaquinho", relembram os filhos.
O lazer da família era o cinema, nessa época Cine João XXIII. Para as festinhas tinham que "fugir", pois o controle era rígido.  Dos quatros filhos foram gerados 12 netos e duas bisnetas.
Professora Nancy Nina da Costa era uma educadora voltada pela melhoria do ensino no Amapá. Tanto que ao ser nomeada Chefe do Ensino Primário da Divisão de Educação e Cultura do Amapá, não se prendia ao gabinete, ela acompanhava "in loco" a situação das escolas e dos professores nos municípios interioranos. Foi contemporânea das professoras: Ibéria, Risalva Freitas do Amaral, Silvia Del'Castillo,  Maria Alves de Sá, Ana Alves de Oliveira, Maria das Dores Correia, Raimunda Virgolino, entre outras...
A dedicação e o amor à educação levou Nancy Nina da Costa a ultrapassar em dez anos a mais, o limite de sua aposentadoria. Em paralelo desenvolvia outras atividades. 
A aposentadoria obrigatória tirou muito do ânimo e a vitalidade da professora Nancy. Sua filha Aníoce relata que parecia que em um mês ela envelheceu dez anos. "Ela se aposentou pela obrigatoriedade. Infelizmente a sua morte foi proveniente de um câncer no estômago, foi rápido entre o diagnóstico e o óbito. Ela foi internada no dia 1º e no dia 11/09/2007 , veio a falecer aos 81 anos".
Foi educadora nos antigos Grupos Escolares: Barão do Rio Branco (1965), onde também exerceu a direção; na Diretoria de Ensino Primário da Divisão de Educação do ex-Território Federal do Amapá (1965); Secretária do Grupo Escolar anexo à Escola Normal (1964); Vice-diretora do Colégio Amapaense, (1974); Diretora da Escola de Primeiro Grau Coaracy Nunes (1976).
Texto reproduzido, com adaptações, do blog da Tribuna Amapaense.

domingo, 14 de julho de 2013

Suely Cavalcante - "1ª Rainha do Futebol Amapaense"

Em 1966, o Rotary Clube de Macapá promoveu uma campanha para angariar donativos, através da contribuição dos associados ou a colaboração de terceiros. 
O lançamento do concurso de "Rainha do Futebol Amapaense", recebeu o apoio da Federação Amapaense de Desportos e dos diversos clubes de Macapá. A arrecadação resultante da venda de votos pelas candidatas, foi revertida em benefício da Campanha Contra a Tuberculose, no Território Federal do Amapá.
Suely Cavalcante, candidata do Esporte Clube Macapá, foi eleita a "1ª Rainha do Futebol Amapaense" e teve como competidoras representantes do Trem, Amapá, Santana, Independente, Juventus e Fazendinha Esporte Clube, todas jovens, muito simpáticas e bonitas.
Fonte: Revista ICOMI-Notícias Agosto/Setembro-1966.

sábado, 13 de julho de 2013

"Copa do Mundo Marcílio Dias"

Esta  "foto memória", publicada no Jornal Diário do Amapá de 1995, é do tempo em que a Copa Marcílio Dias era disputada no campo que ficava atrás da sede dos Escoteiros do Mar "Marcílio Dias", no bairro do Trem, onde hoje funciona a Escola Municipal "Hildemar Maia". 
Aparecem à esquerda o empresário Elíuço, ao meio (em pé) o José Maria Gomes Teixeira, o Manga e à direita o repórter José Maria Trindade, o Zeca Diabo.

História - A primeira edição, da Copa Marcílio Dias, ocorreu em 1952, com o objetivo de integrar ainda mais os jovens, e com o futebol, fazer com que ser um escoteiro se tornasse mais atraente. Seguindo o modelo da competição realizada pela FIFA, a Copa Marcílio Dias passou a ser realizada de quatro em quatro anos, e assim seguiu nas copas de 1966, 1970, 1974 e 1978. No ano seguinte, a partir da chegada do Comandante Barcellos, a competição passou a ser anual. Essa mudança também atendia  pedidos dos jovens, que queriam ter mais oportunidades para jogar a Copa. Da primeira edição participaram 16 seleções, que eram formadas pelos escoteiros e moradores do bairro. As equipes eram: Alemanha Ocidental, Argentina, Brasil, Bulgária, Chile, Colômbia, Espanha, França, Hungria, Inglaterra, Itália, Iugoslávia, México, Tchecoslováquia, União Soviética e Uruguai. Os jogos e o regulamento foram baseados no álbum de figurinhas, que é lançado em cada Copa do Mundo. Na edição de 1962, Manga afirmou que adquiriu o único exemplar, que era vendido na antiga livraria Zola, no centro da cidade. No final, quem levou foi a França, comandada pelo radialista J. Ney, que na época foi o craque daquela seleção, que contava com garotos como Adalberto, Gilberto, Lelé, Pataca e Percival, os quais logo depois se tornaram jogadores nos grandes clubes da capital. No total, J. Ney marcou 23 gols naquela edição e acabou sendo o artilheiro. A competição vem sendo realizada há 61 anos. Fonte: Tribuna Amapaense

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Amapá Clube - Campão de Futebol de 1975

Desportista Raimundo Pessoa Borges - o Marituba, recebe a faixa de Campeão de Futebol de 1975, observado por Olinto Ponciano e pelo torcedor Joãozinho.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Uma "bica pública" da Macapá de outrora

Este registro fotográfico, raro, nos foi compartilhado pelo amigo Paulo Tarso Barros. 
Embora com a qualidade comprometida, trata-se de um recorte do Jornal Amapá, do início do Território, que mostra uma usuária apanhando água potável, em uma das "bicas públicas" de Macapá.
As primeiras torneiras públicas da cidade, foram instaladas por Janary Gentil Nunes, nos primeiros anos de seu Governo em 1945. Foram montadas em inúmeras bases de concreto, em pontos estratégicos da cidade de Macapá, que na época era bastante pequena.
Até bem pouco tempo, poderiam ser vistos alguns desses marcos da história cotidiana do Amapá, que indicavam a existência de torneira pública na capital, e que, em nome do progresso, acabaram sendo destruídos.
Essas torneiras foram instaladas para atender a população da cidade, que não tinha água encanada em suas casas.

Leia outros links relacionados: 

http://migre.me/fpA3x
http://migre.me/fpAev
http://migre.me/fpAtQ

terça-feira, 9 de julho de 2013

Festa de Despedida da Escola Normal de Macapá

Ano 1967 - Festa de Despedida do alunos do 3º ano Pedagógico da antiga Escola Normal de Macapá.
Em pé a partir da esquerda: Ivonete Araújo, Noquinha Picanço, Nilza Lima, Maria Façanha, Déa Rola Soáres, Consolação Lins Côrte e Maria Romana. Agachadas: (deitada) Maria Lucimar, Maria Antônia, Maria da Paz Farripas e Eloisa Coutinho.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Alunos do 3º Pedagógico da antiga Escola Normal de Macapá

Ano 1967 - Alunos do 3º ano Pedagógico da antiga Escola Normal de Macapá.
Em pé a partir da esquerda: 1ª fila: Silvio Castillo, Adinor Amanajás, Marlene Rodrigues, Maria Façanha, Edi Golveia e Zélia. 2ª fila: profª Raimunda Paulino, Francelina Gouveia, Maria José Gomes, Ivonete Araújo, ?, Silvia Castillo, Maria de Jesus, Sandra Nicolai, na frente dela Déa Rola Soáres, ?, Eleanora Aimoré, Graça Redig, Lucimar, Edésio Lobato, Ivone Cruz, Íria Lúcia Leite, Regina Peixoto, profª Maria Alves de Sá, Laíses do Amparo Braga,  Olgaíses Moisés Pelúcio e profª Noá. Ajoelhadas: ?, Maria de Jesus Souza, Marly Salomão, Maria da Paz Farripas, Maura Lins,  Consolação Lins Côrte; Agachadas: Noquinha Picanço, Maria Romana, Nilda Portal, Maria Antônia, atrás dela Graça Ramalho, Eloisa Coutinho, Admilsam Menezes, Maria Íris Cavalcante, Iracema Duarte e Nilza Lima.

Fonte: Foto compartilhada pela amiga Consolação Lins Côrte com as devidas informações sobre as identificações de suas colegas de turma.

domingo, 7 de julho de 2013

Os 80 anos de nascimento de Carlos Lins Côrte - O "Baião Caçula"

Exatamente no dia 07 de julho de 1933, nascia em Belém do Pará, Carlos Lins Côrte, o conhecidíssimo "Baião Caçula", filho do casal Carlos Cantídio Côrte e Erotildes Lins Corte. 
Carlos Lins Côrte, o Carlito (como era chamo em família), trabalhou mais de 20 anos na Rádio Difusora de Macapá.  
Era "controlista de som" como se chamava na época. 

(Fonte: Informações repassadas pela viúva Teresinha Silva Côrte e pela irmã do homenageado, Consolação Lins Côrte, a quem agradecemos)

sábado, 6 de julho de 2013

Seção de corte do barro na Olaria Territorial, em Macapá

Trazemos hoje, mais uma das inúmeras fotos do álbum da Família Franco, e que foram compartilhadas, com o blog Porta-Retrato pela senhora Miranilde Souza, viúva (2ª esposa) do desportista José Maria Franco.
É mais um registro dos anos 50, no interior da Olaria Territorial de Macapá, onde aparecem o Sr. Raimundo das Mercês Franco, à esquerda, que era administrador da Olaria na época,  com um dos operários, na seção de corte do barro, que depois seguiria para secagem nas prateleiras até estar em condições para ser cozido e transformado em tijolos, telhas ou outros utensílios úteis.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Jovens num baile do Esporte Clube Macapá

Neste registro fotográfico dos anos 60, que nos foi compartilhado pela amiga Consolação Lins Côrte, vemos algumas jovens em volta da mesa, em um Baile na sede social do Esporte Clube Macapá. 
Consumo geral do delicioso Flip Guaraná.
Da esquerda pra direita: A primeira desconhecida; Lídia; Consolação, Santana, Rosa e última à direita não foi reconhecida.
Se você conhecê-los e quiser nos ajudar, favor nos informar via e-mail - jolasil@gmail.com - ou deixe rum recadinho.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Encontro dos amigos

Velhos amigos reunidos na Casa Deuzarina (Bar do Paixão), no bairro do Trem, em Macapá.
À esquerda: o Sr. Antônio Azarias, ao centro o comerciante Paixão e à direita o ex-jogador Turíbio Guimarães, abraçando seu filho Turibinho.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Matriz Esporte Clube - o embrião do Juventus

O registro fotográfico de 1960, mostra o time, que pode ser considerado o embrião do Juventus Esporte Clube.  Pois, foi do Matriz Esporte Clube que começou a surgir o Juventus, o famoso Moleque Travesso da Prelazia de Macapá.
Em pé da esquerda para a direita: Pe. Paulo De Coppi, João Coutinho, Ailton (beiço de burro), Emídio Soares (Rôla), Enildo Amaral (Cuia Preta). Luiz Valdemar (Lulu), Nilson Montoril (Maçaranduba), Jaci Jansen, João Modesto e Salomão Alcolumbre. Agachados: João Eudes (Cabeludo), João Coutinho (Cutia), José Jansen(Zeca Fino), J. Ney (Beija-Flor), Círio Coutinho e Getúlio Amaral (Vaca Preta).

(Fonte: Foto Memória - recorte do Jornal Diário do Amapá de 1995)

terça-feira, 2 de julho de 2013

A Carismática "Tia Neném"

Petronilha Silva de Queiroz. Este era o nome de batismo de Dona Neném, que por muitos anos, foi tacacazeira, no bairro do Trem. Nasceu em Santa Izabel, Belém-PA, em 10 de 07 de 1926. Chegou em Macapá, nos idos dos anos 40, muito jovem, com os pais Antônio Alves da Silva e Lídia Alves da Silva, já falecidos. Naquela época a cidade se resumia à Praça da Matriz, Igreja de São José e Largo dos Inocentes, no bairro do Formigueiro. Ela começou a trabalhar montando uma pensãozinha e um pequeno restaurante, lá mesmo perto do Formigueiro. Dona Neném conheceu seu marido José Bonifácio Queiroz Neto, o famoso "Pintor", no início do Território. Dessa união nasceram os filhos Raimunda, Ana Maria, Graça, Maria das Dores, Jorge, José Maria e Zezinho. Do Formigueiro Dona Neném foi morar no bairro da Favela e depois no bairro do Trem, onde ficou até o final de sua vida. Ela faleceu em 02 de julho de 2004.

(Entrevista concedida ao jornalista Bonfim Salgado, publicada no Jornal Diário do Amapá, domingo, dia 22 de outubro de 1995).

segunda-feira, 1 de julho de 2013

O Cantor e o Radialista

Ano 1995 - Kzam Nery e o radialista J.Ney num show do cantor, em Macapá.