terça-feira, 11 de maio de 2010

Os Industriais do Ritmo

Ano 1962 - Os Industriais do Ritmo - Tinha esse nome por ser formado por alunos da Escola Industrial de Macapá. Da esq. para a dir. vemos Pinon (sax) João Chico (trombone), Manoel Sobral (camisa branca), Bernardo Monteiro(guitarra), Braulino Pimentel (afoché) e Orlandino (no tarol).

12 comentários:

  1. Muito bom saber que existem pessoas que inaltecem nossa Cidade na teoria e na prática. Muito bom ver essas fotos e vivenciar Macapá antiga. E tenho um pedido. Quero ver mesmo se os aviões em Macapá pousavam na Av. FAB. Você tem fotos? Pode ter certeza que sempre passarei aqui e o indicarei.

    ResponderExcluir
  2. Olá Breno: Satisfação imensa saber que você é interessado, como muitos, no resgate da história da cidade de Macapá.
    No que depender de mim, estarei envidando todos os esforços para tornar este blog mais agradável aos olhos e, principalmente, ao coração.
    É salutar,com certeza, termos algo que nos exercite a memória.
    Volte sempre e faça bom proveito.

    Respondendo a sua pergunta, posso lhe assegurar que o primeiro campo de pouso da cidade de Macapá, localizava-se na área hoje ocupada pela Av. FAB, razão pela qual, esta principal artéria recebeu tal denominação em homenagem à Força Aérea Brasileira.
    Lamento não poder satisfazer sua curiosidade, pelo menos no momento, por não dispor em arquivo, de nenhuma foto com imagens da pista ou até mesmo da estação de passageiros da época.
    Mas, com a colaboração das pessoas que por acaso possuam fotos sobre o assunto, quem sabe, em breve poderemos lhe satisfazer a curiosidade.
    Vamos torcer para que não demore muito a aparecer uma generosa oferta.
    A memória da cidade, com certeza, irá agradecer.
    Contudo, posso lhe apresentar, oportunamente, alguns modelos de aeronaves que andavam por aqui naquela época, pelo menos dá pra matar um pouco da saudade.
    grande abraço e apareça outras vezes.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns João Lázaro. Ver fotos de como era nossa cidade é muito legal. Apesar de ter nascido em 1971, ainda cheguei a ver muito daquilo que essas imagens mostram. COntinue postando, pois vc terá um visitante assíduo. Abraço.

    Neto Mont'Alverne

    ResponderExcluir
  4. Gostaria muito de lembrar o nome do segundo músico, na fila detrás, com o trombone. Ele era garço do Macapá Hotel, junto com seu Inácio e nas horas vagas era músico.

    ResponderExcluir
  5. Olá Neto, obrigado pela visita. Quanto prazer em tê-lo aqui.
    Gostaria muito de manter contato com o Jorge e com o Joacy Montalverne.
    Caso você tenha os e-mails deles gostaria que me informasse através do meu e-mail: jolasil@gmail.com
    grande abraço

    ResponderExcluir
  6. Se não me engano, era Antonio o nome do Sr. que esta na fila de tras com o trombone. Ele era inspetor no Barão do Rio Branco, além de garçon. A familia dele ainda reside na Av. Cora de Carvalho e um de seus filhos é seu Valdeci, que reforma moveis estufados na Av. Mendonça Junior. Que bom saber que ele era musico também.

    ResponderExcluir
  7. Ok. Veneide, vou tentar confirmar de alguma forma. Muito grato.

    ResponderExcluir
  8. Pena que na foto só aainda estejam entre nós o Sobral, Orlandino e o Pinon(hoje clinicando em São Paulo). O do trombone é o sr. João Chico, meu vizinho da favela, morava na Cora de Carvalho, entre Jovino e Leopoldo e o da guitarra é o Zeca, filho do seu Pedro Monteiro(fundador do América do Laguinho).Milton Sapiranga Barbosa

    ResponderExcluir
  9. Ola Milton; Você tem razão, o nome dele era João e ele era também inspetor de escola. A familia dele ainda mora na Av Cora de Carvalho. Ele era pai do Sr. Valdeci.

    ResponderExcluir
  10. Édi Prado - Este guitarrista não é o Zeca e sim Bernardo Monteiro, irmão do Zeca e filho do Sr. Pedro Monteiro e D. Astrogilda. Eu morava bem em frente a casa deles, que ficava na Rua Gal Rondon com Nações Unidas. Nasci e me criei no Laguinho.

    ResponderExcluir
  11. Édi Prado - Com relação a FAB ter sido pista de pouso é um equívoco. O Sr. Arlindo Oliveira, pioneiro da viação no Amapá como mecânico de aeronave e o Sr. Walter do Carmo, um dos pilotos formados pelo Aero Clube em 13 de setembro de 1957, falavam que a a pista abrangia as hoje avenidas FAB, Procópio Rola e Raimundo Álvares da Costa e obedecia a mesa posição da atual pista do Aeroporto Internacional de Macapá. Ali pela FAB entre a Prefeitura de Macapá e Palácio do Governo, ficava a parte administrativa do aeroporto e diziam que nenhum aeroporto do mundo tem uma pista na direção leste/oeste, como caso da Av FAB em Macapá. Explicou que a avenida ganhou este nome porque a primeira turma de pilotos fez um desfile simbólico no dia 13 de setembro de 1957 com os dois Paulistinhas na pista como se tivessem taxiando e outros formando vinham a pé. Ao chegar na hoje Gal Rondon, com a FAB os pilotos aceleram e fizeram um "cavalo de pau" com os aviões e uma nuvem de poeira tomou conta da área, para os aplausos da pequena plateia e do governador, Janary Nunes, que em homenagem aos primeiros pilotos formados em Macapá batizou a avenida de FAB. Já publiquei várias matérias relatando esse fato quando eles estavam vivos para oportunizar as pessoas a tirarem as dúvidas. Ninguém os procurou. Mas existem testemunhas desse fato que estão na cidade. Mas pista de pouso nunca foi e tecnicamente nem pode ser .

    ResponderExcluir
  12. O do Tarol não é Orlandino, mas Orlando Gadelha.
    Abços, Cléo Araújo.

    ResponderExcluir

Foto Memória de Macapá: Pioneiros de Macapá

Trazemos para o Porta-Retrato foto compartilhada pelo amigo Luiz Pessoa, com imagens de um evento social e esportivo, no início dos anos...