quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Professor Bernardo: Um Pioneiro da Educação do Amapá

(Foto: Reprodução / Jornal Tribuna Amapaense)
Bernardo Rodrigues de Souza, 72 anos, mais conhecido como professor Bernardo, é natural no Estado do Piauí. Migrou para o Amapá ainda cedo, em 1953, quando tinha 13 anos, junto com seus pais e irmãos,  cresceu, estudou e constituiu sua família.
Professor Bernardo não pretende sair do Amapá.
Ele é esposo da também professora Maria Nazaré Pacheco de Souza, com quem se casou em 1967; tiveram quatro filhos e posteriormente adotaram mais duas filhas.
Professor Bernardo estudou, inicialmente, na Escola Industrial de Macapá, onde fez o Curso Ginasial. Naquela época a escola tinha o ensino industrial básico. Depois foi para Colégio Comercial do Amapá, cursar o segundo grau. Posteriormente estudou o terceiro grau se formando em História. Ele é historiador. Professor Bernardo mostra, com orgulho, homenagem recebida por representar o Amapá durante quase 12 anos no Congresso Federal de Contabilidade.
"Fui professor de várias disciplinas, lecionei para três gerações e muitos dos profissionais que hoje estão atuando no Amapá foram meus alunos,... Isso muito me orgulha, me faz feliz, e mesmo com 72 anos eu não estou parado, pelo contrário, continuo trabalhando", completa.
Representante do Estado do Amapá no Conselho Federal de Contabilidade (CFC) há quase 12 anos, professor Bernardo comenta que está no terceiro mandato consecutivo e que recebeu um prêmio por sua atuação na área.
Sobre a carreira como docente, o professor lembra muito bem dos anos em que estudou e formou-se. "Fui professor de Educação Moral e Cívica, Introdução à Sociologia e tive a felicidade de ser professor no antigo Ginásio de Macapá, onde estudei e depois fui professor e diretor. A mesma coisa aconteceu no Colégio Comercial do Amapá, onde fui aluno e depois professor e diretor. Também lecionei no Colégio Amapaense e Santina Rioli. Quando me aposentei tinha mais de 30 anos em sala de aula, isto é, três décadas de magistério. Fui professor-fundador do Centro de Ensino do Amapá (CEAP), onde fui professor, aluno de pós-graduação em Metodologia do Ensino Superior e vice-diretor dessa mesma faculdade. Estive na Universidade Federal do Amapá (Unifap) também como professor da cadeira de História, embora num período de tempo muito curto".
Um fato interessante na vida do professor Bernardo foi o grande salto que deu quando ainda estava se formando: de trabalhador braçal, professor Bernardo tornou-se governador do Ex-Território Federal do Amapá. "Entrei na vida pública em 1960, como trabalhador braçal nível um. E de lá fui sendo promovido, e ao mesmo tempo em que trabalhava eu estudava, até chegar ao nível que cheguei", relata.
Passando por diversas secretarias da época, como a de Educação onde ficou por quase 30 anos, depois a Secretaria de Fazenda e posteriormente na Secretaria de Finanças do Município. Professor Bernardo conta que foi "um dos funcionários dessa época que teve a felicidade de ser Secretário de Finanças do Município e do ex-Território Federal do Amapá, durante a transição, no ano de 1989 a 1990, quando o Amapá elegeu o seu primeiro governador depois da transformação em Estado".
Como Secretário de Fazenda da época, durante muitos anos exerceu o cargo de governador substituto quando o então governador Dr. Jorge Nova da Costa viajava.
Professor Bernardo atualmente também é auditor do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-AP)
Exercendo o magistério e tendo uma carreira política que somam 60 anos de vida, professor Bernardo é um cidadão amapaense de coração, com uma larga folha de serviços prestados ao Amapá e ao seu povo.

Fonte: Entrevista concedida a Gabriel Fagundes e publicada no Jornal Tribuna Amapaense, em outubro de 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário