terça-feira, 14 de julho de 2015

Pioneiros Ilustres do Amapá: Benedito da Costa Uchôa


O
Pioneiro Benedito da Costa Uchôa - nascido no dia 13 de janeiro de 1910, na localidade de Porto Alegre, Município de Anajás, Estado do Pará, estudou o curso primário ao mesmo tempo em que trabalhava no comércio de seu pai. Chegou ao Amapá no mês de maio de 1946, levando sua família. Conquistou de imediato a amizade dos amapaenses. Construiu uma casa de campanha para residir e reativou seu comércio de materiais de construção e ferragens.
Casado com D. Luiza de Andrade Uchôa de cuja união nasceram os filhos Alberto, Abraam, Dina, Sara, Ester, Paulo, e Benedito João.
Incorporou-se à comunidade macapaense ingressando na igreja Assembleia de Deus que ajudou a construir, difundir seus princípios e participar das atividades sociais e filantrópicas.
Entrou na política amapaense, incorporando-se à falange do Partido Trabalhista Brasileiro-PTB, que ajudou a criar.
Conquistou as amizades do Presidente Getúlio Vargas e de eminentes políticos como João Goulart, Persival Barroso e Ulisses Guimarães. Liderou a oposição no Território do Amapá da qual faziam parte os petistas Mário Ramos, Joca Furtado, Claudomiro Morais, Zeca e Duca Serra, Armando Lima, Elfredo Távora, Francisco Laranjeiras, Amaury Farias e outros membros importantes das famílias de Macapá, que formaram uma aguerrida frente de combate à política do então Governador Janary Gentil Nunes. Após a extinção do PTB e os demais partidos, filiou-se ao MDB de Ulisses Guimarães, que, posteriormente, se transformou em PMDB, assumindo a presidência do Diretório Regional. Anos depois funda o PDC, Partido Democrata Cristão, e assume a presidência. Eleito Vereador de Macapá em 1978, onde teve uma atuação destacada, fazendo oposição. Figura humana excepcional, dedicava-se à solução dos problemas da comunidade aos 84 anos, sofrendo as conseqüências de um acidente que lhe colocou paraplégico, veio a falecer no ano de 1994. Binga Uchôa, como era conhecido, não tinha medo de defender seus princípios, de fazer política, de criticar os administradores quando falhavam, sem ferir as pessoas. Foi um homem de bem, um chefe de família exemplar, um pioneiro que mereceu entrar na galeria dos Personagens Ilustres do Amapá.

Texto original revisado e adaptado pelo editor do blog, Porta-Retrato, devidamente atualizado pela nova ortografia brasileira, vigente. 

Fonte: Livro "Personagens Ilustres do Amapá, Vol II, de Coaracy Sobreira Barbosa - Departamento de Imprensa Oficial - Agosto de 1998.

Nenhum comentário:

Postar um comentário