quarta-feira, 11 de junho de 2014

História do Amapá: Populares de Macapá, dão adeus a Janary Nunes

Em 3 de março de 2014, o amigo e historiador amapaense Nilson Montoril, usou a imagem abaixo, com outras duas fotos menores, para ilustrar matéria, em sua página no Facebook, sobre um acontecimento histórico, registrado naquela data, há 65 anos, no então Território Federal do Amapá.
Com a devida licença do Nilson, reproduzimos a foto e o texto que ele produziu:
Em foto de 1949, vemos um avião C-47(DC-3) da Cruzeiro do Sul, e populares de Macapá dando adeus a Janary Nunes, na antiga pista de pouso, no centro da cidade, onde hj passa a Av. FAB. 
Ele, de terno branco, acena da porta do avião.

"No dia 3 de março de 1949, o governador Janary Gentil Nunes visitava as cidades de Amapá e Oiapoque, para despedir-se da população. Ele estava deixando o governo do Território Federal do Amapá para frequentar o Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais do Exército, no Rio de Janeiro. Viajou para as duas cidades como passageiro de um avião Douglas C-47(DC-3),retornando a Macapá no mesmo dia. Na cidade de Amapá, a solenidade aconteceu na Base Aérea de Amapá, onde o ex-governador foi recebido com estrondosa festa pela população e autoridades. Coube ao Dr. José Castanheiro, Juiz de Direito da Comarca, saudar o ilustre visitante, fazendo-o num, eloquente improviso que a todos emocionou. Os alunos da Escola de Iniciação Agrícola, sob a direção do Professor José Barroso Tostes cantaram uma composição cívica apreciada por Janary Nunes. Era tão grande o número de populares que o caminhão da Escola de Iniciação Agrícola e uma caçamba do Exército precisaram fazer oito viagens para transportá-los da cidade para a Base Aérea e vice-versa. Janary Nunes tinha sido exonerado no dia 2 de março, sendo substituído pelo Dr. Raul Montero Valdez, que era seu Secretário Geral. Nesse cargo ficou o Delegado de Polícia Manuel Cacela Alves. Janary só retornou a governar o Amapá a partir de 18 de dezembro de 1949. Se ele não fizesse o curso passaria para a reserva no posto de capitão e não teria futuras promoções.(Nilson Montoril)

Fonte: Foto do acervo de Nilson Montoril e texto reproduzidos da página do historiador, no Facebook.

Nenhum comentário:

Postar um comentário