sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Há 46 anos: D. José Maritano era nomeado Bispo Prelado de Macapá

Em 30 de dezembro de 1965.
(Foto: Reprodução de arquivo)

Giuseppe Maritano, ou simplesmente José Maritano, foi o segundo bispo prelado de Macapá e o primeiro bispo diocesano. Nasceu em Piemonte, na Itália, em 18 de março de 1915. Foi ordenado padre em 1939. Em 30 de dezembro de 1965 foi nomeado bispo prelado de Macapá,...
(Foto: Reprodução de arquivo)
... tomando posse em 19 de março de 1966(foto). Governou a Prelazia de Macapá até 14 de novembro de 1980, quando a prelazia foi transformada em Diocese, tornando-se José o primeiro bispo diocesano, até 31 de agosto de 1983.
A Lancha Amapá, chega ao trapiche Eliezer Levy, levando a bordo Dom José Maritano, em 18 de março de 1966.
No dia seguinte, ele tomou posse como segundo Bispo Prelado de Macapá.
Presentes na Lancha: Sr. Marcos Farias dos Santos (pai do Heraldo Amoras e funcionário da SUSNAVA) de camisa branca, calça cinza e de bigode; a criança com touca preta na cabeça é Haidee Amoras (irmã de Heraldo); a adolescente com chapéu preto, na frente do barco é Halda Amoras (outra irmã do Heraldo); Ao centro, com batina escura Dom José Maritano; ao lado direito dele (de batina branca) está o Padre Ângelo Biraghi e  atrás de D.José, de batina branca, óculos e chapéu o  Irmão Francisco Mazolene . As demais pessoas não foram identificadas.

(Foto: Reprodução/Arquivo Diocese de Macapá)
Ano 1966 - Dom José Maritano - 2º Bispo Prelado de Macapá - beija o solo de Macapá, por ocasião de sua chegada ao Território Federal do Amapá.
Várias autoridades civis e eclesiásticas foram recepcioná-lo.
No registro fotográfico vemos: Sr. Elfredo Távora Gonçalves (esq. de óculos), General Luiz Mendes da Silva (Governador do TFAmapá) e sua esposa Sra. Iná Mendes da Silva (vestido e óculos escuros); Cabo Alfredo Oliveira (Prefeito de Municipal de Macapá, na época);à sua frente Sr. Marcelo Cândia (construtor de importantes obras sociais no Amapá); Sr. Miracy Maurício Neves; Dom Alberto Gaudêncio Ramos - Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará; o sacerdote barbudo ao lado de D. Alberto é Dom Arcângelo Cercqua - 1º Bispo Prelado de Parintins/PA e (dir) Dom Aristides Piróvano (1º Bispo Prelado de Macapá), entre outros.

Chegou em Macapá no dia de seu aniversário (18 de março), em 1966, e nesse mesmo ano criou a paróquia de Jesus de Nazaré, desmembrando-a da de São José, São Benedito e Nossa Senhora de Fátima. Nesse mesmo ano inaugurou a então capela de Jesus de Nazaré, no bairro de mesmo nome, que deu origem à Igreja Matriz da paróquia, em 1976. Em 1968 inaugurou, em Macapá, a primeira capela de Nossa Senhora Aparecida, no Pacoval. A nova igreja, já em alvenaria, foi inaugurada por ele, mais tarde, em 1976. O Cruzeiro do santuário foi fincado em 1967. Nesse mesmo ano, em abril, inaugurava em Macapá a capela de Santa Rita, localizada no mesmo terreno do Abrigo de São José, em alvenaria, de propriedade do Governo do Amapá, e pertencente à paróquia de Nossa Senhora de Fátima.
Em 03 de outubro de 1969 conseguiu, com o generalato de Roma, a fundação de mais uma comunidade religiosa feminina em Macapá: Irmãs de Nossa Senhora Menina, no Hospital São Camilo. Em 1970 reinaugurou, em Macapá, a Igreja do Perpétuo Socorro, no bairro do Perpétuo Socorro (antigo Igarapé das Mulheres), inaugurada em 1958 pelo padre Vitório Galliani.
Em 1971 inaugurou, em Macapá, na comunidade de Campina Grande, a capela de São Benedito. Em 1972 inaugurou, em Macapá, a capela de Nossa Senhora do Carmo, pertencente à paróquia de Nossa Senhora de Fátima, em Lagoa dos Índios.
Em 1974 inaugurou, em Macapá, a Igreja da Paróquia de São Pedro, em Alvenaria. Mas ela só foi declarada sede da paróquia em 1978. Nesse mesmo ano inaugurou a capela de Santo Antônio, na rua Odilardo Silva, no bairro Central, e um centro comunitário localizado nesse mesmo endereço, que recebeu o nome de Centro Comunitário Padre Carlos Bassanini. Em 1977 inaugurou, em Macapá, na comunidade de Ilha Redonda, Município de Macapá, a Capela de São Sebastião.
Em 23 de julho de 1978 criou, em Macapá, a paróquia do Sagrado Coração de Jesus, no Buritizal, desmembrando-a da paróquia de Nossa Senhora da Conceição, no bairro do Trem. Em 1º de outubro criou, em Macapá, a paróquia de São Pedro, no Beirol, desmembrando-a da paróquia de Nossa Senhora da Conceição, no Trem. Em 1979 inaugurou, em Macapá, na região da Pedreira, a capela de São Francisco das Chagas, na Casa Grande. Em 3 de junho criou, em Santana, a paróquia de Nossa Senhora de Fátima e dos santos Ambrósio e Carlos, no bairro Vila Maia.
Em 1980 reinaugurou, em Santana (Igarapé da Fortaleza), a capela de Cristo Rei, inaugurada em 1972, ainda em madeira. Ela foi construída pelo padre Francisco Usai. Nesse mesmo ano, em agosto, pede bênçãos e lança, em Macapá, a pedra fundamental de construção da Igreja da Santíssima Trindade, no bairro Nova Esperança. Em 14 de novembro, com a transformação da Prelazia de Macapá em Diocese, foi nomeado primeiro bispo diocesano, tomando posse em 5 de julho de 1981. Governou a Diocese até 31 de agosto de 1983. Em 1981 inaugurou, em Macapá, a Igreja do Divino Espírito Santo, no Buritizal, construída pelo padre Dante Bertolazzi, em 1978. Nesse mesmo ano pede bênçãos a Deus e inaugura em Macapá a capela de São João Bosco, no Buritizal, construída pelo padre Dante Bertolazzi.
Em 1982 inaugura e benze a Igreja de São Francisco, no bairro Santa Rita, em Macapá. A construção foi iniciada em novembro de 1979, sob coordenação do padre Ângelo Da Maren. Nesse mesmo ano erige a paróquia de Cristo Libertador, em São Joaquim do Pacuí, desmembrando-a da paróquia de São José, em Macapá. Em 24 de agosto de  1983, transfere-se para a Colônia Hanseniana do Prata, no Pará, para a Pastoral do Hanseniano.
Sua vida foi sempre plena de muitos serviços prestados à Igreja Católica e ao "seu povo".
Dom José Maritano, faleceu em Roma aos 77 anos, por problemas cardíacos, em 27 de dezembro de 1992.
Fonte: Coisas do Amapá – Edgar Rodrigues

(Repaginado em 30/12/2011)

6 comentários:

  1. João, houve um pequeno engano : na extrema direita, trata-se de D. Aristides Pirovano que, por sinal, deixaria Macapá e depois se tornaria Bispo Emérito de Marituba. Foi lá que ele recebeu o Papa João Paulo II, depois de expulsar os politicos que tentavam aparecer junto dele.

    ResponderExcluir
  2. João, na foto, chama a atenção uma outra personalidade : o Bispo entre D. Aberto Ramos e
    D. Aristides, parece ser D. Arcangelo Cercqua, Bispo de Santarém e antigo vigário e provedor da paróquia de São José e que deu posse ao nosso primeiro Bispo, D. Aristides. Não tenho certeza, porque não sei se ele ainda era vivo nesta data. Alguém poderia esclarecer?

    ResponderExcluir
  3. Marcelo Candia
    o rico que se tornou santo

    A causa de beatificação de Marcelo Candia encontra-se em fase avançada.

    ResponderExcluir
  4. Ok Lindoval foi falha minha, já fiz a devida correção.
    Já D. Arcângelo Cercqua foi primeiro Bispo Prelado de Parintins.
    -----------------------------------------------------------------------
    Registro histórico: Os primeiros padres residentes do Pime a chegar ao Amapá foram Aristides Piróvano (que se tornou superior local e primeiro bispo de Macapá) e Arcângelo Cérqua. Ambos inicialmente atuaram na Pastoral Paroquial.
    Eles chegaram aqui no dia 29 de maio de 1948.
    Dom Aristides ficou até 1965, quando foi nomeado Superior Regional do Pime em Roma.
    Arcângelo Cérqua foi em 1952 para Manaus, onde assumiu o governo regional do instituto.
    Marcaram presença como padres pioneiros, além de D. Aristides e o padre Arcângelo, os padres Vitório Galliani, Ângelo Bubani, Carlos Bassanini, Luís Vigano, Mário Limonta, Lino Simonelli, Jorge Basile e Irmão Francisco Mazolene.
    Estes vieram na segunda leva de missionários, ocorrida em 19 de junho de 1948.
    Vitório Galliani faleceu em Macapá em 1983; Carlos Bassanini em 1973, e Mário Limonta abandonou o sacerdócio em 1949, um ano depois. (Edgar Rodrigues via Amapanet)
    D. Arcângelo faleceu na Itália no dia 21 de fevereiro de 1990.

    ResponderExcluir
  5. Lázaro, salvo engano, o Pe. Jorge Basile chegou à Macapá, em 1949, junto com alguns professores, vindos do Pará. Dentre estes, a Profª Raimunda Ferreira da Silva, que, posteriormente, tornou-se esposa do S. Lauro, ex-servidor da ICOMI. Um abraço, Cléo Araújo.

    ResponderExcluir
  6. JOÃO LÁZARO, estive em macapá em 1966 a convite de D.JOSÉ MARITANO, ele foi amigo de meus familiares em ASSIS (onde nasci) ele se tornou meu padrinho de batismo. na decada de 50.
    tive o prazer de conhecer o SR. MARCELO CANDIA, o hospital já estava bem adiantado, tinha chegado da ITÁLIA uma médica (voluntaria do PIME)
    E UM mestre de óbras.
    fiquei em macapá alojado no hospital.permaneci por tres meses.
    estou enviando algumas fotos da época.

    ResponderExcluir