domingo, 13 de fevereiro de 2011

Professora Aracy Mont’Alverne: 98 anos de seu nascimento

(Reprodução de livro)
Há 98 anos...nascia na cidade de Colares, Estado do Pará, no dia 13 de fevereiro de 1913, Aracy Miranda de Mont’Alverne filha de Werneck Barbosa de Miranda e D. Raimunda Maria de Miranda.
Estudou nos colégios de Belém e formou-se professora normalista em 1933.
Começou a trabalhar como professora do Ensino Primário em Belém, no período de 1933 a 1936.
Chegou ao Amapá, em 8 de dezembro de 1942, convidada pelo então Governador Janary Gentil Nunes, ingressando no Quadro de Funcionários do Governo na função de Professora dos Cursos Pré-Primário e Primário nivel l l no dia 2 de fevereiro de 1949.
Em 1962, foi promovida para o cargo de Professora do Ensino Secundário.
Exerceu entre outros cargos a função de Diretora da Divisão de Educação e Cultura em 1962; Diretora da Biblioteca e Arquivo Público em 1965; Orientadora do Ensino de 2.° Grau; Chefe da Assessoria de Relações Públicas do Governo do Amapá em 1965;
Aracy Mont'Alverne recebeu títulos de Honra ao Mérito por serviços prestados ao governo do TFA; do Círculo Militar; da Federação dos Bandeirantes do Brasil; do Projeto Rondon.
Professora Aracy teve brilhante atuação como poetisa, declamadora, musicista, escritora e teatróloga.
Lançou seu primeiro livro "Luzes da Madrugada" em 1988; compôs várias músicas entre as quais o Hino do CCA; escreveu várias peças infantis; em 1997, a Associação Amapaense de Escritores - APES, lançou seu 2° livro em homenagem aos seus 84 anos, "Arquivo do Coração" em agosto de 97.
Casou-se com o Sr. José Jucá de Mont'Alverne, cidadão respeitado e de tradicional família amapaense, de cuja união nasceram os filhos: Ana Luiza, José Sebastião, Joacy Werneck, José Jorge, Ana Lourdes, Ana Lúcia e Ana Lídia.
(Reprodução) 
Anos 70 - Professora Aracy discursa numa solenidade tendo à mesa a partir da esquerda: Dr. Edson Corrêia, Dr. Rubens Baraúna, Profº Paulo Guerra, Governador Arthur Azevedo Henning e profº Geraldo Majela, segurando o microfone.

Aposentou-se em 1969 quando foi passar uma temporada em Belém.
Se fosse viva completaria neste 13 de fevereiro de 2011, 89 anos de nascimento. Faleceu em  01/02/2002.
Essa é a Aracy Miranda de Mont'Alverne, grande mestra, amiga, personagem ilustre, autora da poesia "Macapá Cinderela" de 1986, em homenagem a Macapá, que merece ser transcrita:

Nesta singela narração,
Fiz poema de uma história,
Fazendo a comparação
De uma cidade humilde
Do interior do Brasil
Com uma pobre menina
Que de repente tormou-se
Muito famosa e gentil!

Macapá já foi outrora
Uma menina do mato ...
Tão pequena, tão franzina,
Doentia, retraída,
E que vivia esquecida ...
Muito pálida e quieta,
Era quase analfabeta ...

Mas um dia apareceu
Na linha do seu destino
Um homem forte e bondoso
Que a protegeu e ajudou,
Trabalhador, caridoso,
A menina transformou.
Mas se alguém o conhece
Mesmo de nome aqui.
Esse de quem vos falo
É o Coronel Janary!


Hoje a menina está moça
E ainda está crescendo,
Já é por todas notada,
Está se desenvolvendo
E quando ouve dizer
Com toda admiração
Que é São Paulo ou Brasília,
Do Brasil o coração
Ela toda ufana diz -
"Eu também sou importante,
sou a cabeça do País."


Vive feliz, tem tudo,
Cresceu muito, ficou forte,
É a Cinderela do Norte!
Tem saúde, tem escolas,
Para se aperfeiçoar.
Tem ouro e jóias bonitas ...
Até não usa mais chita!
Vem gente lá de outras terras
Aos grupos, lhe visitar,
É gentil, não é orgulhosa,
A todos sabe tratar
E na terra onde vive
Sob o sol do Equador
Não teme o frio intenso
E nem morre de calor!


É morena, é tão formosa,
Educou-se, está famosa,
É das dez mais elegantes
Do lindo Brasil gigante!. ..
É tão bonita e gentil....
E, querem saber de uma?
- Macapá está pensando
que já vai se preparando
para ser Miss Brasil!
(Fonte: Personagens Ilustres do Amapá, obra de Coaracy Barbosa vol II)

6 comentários:

  1. Como filha, o comentário que posso fazer é agradecer ao João Lázaro pela belíssima homenagem.
    Muito obrigada.

    Lídia Mont'Alverne

    ResponderExcluir
  2. Minha querida professora Aracy Mont'Alverne no Colégio Amapaense, na época do ginasio e com quem aprendi a fazer análise sintática. Grande poetisa e inspiradora.

    ResponderExcluir
  3. Olá Lídia...nada a agradecer.
    Professora Aracy merece todo nosso respeito e todo o nosso agradecimento, pelo "legado de amor, dedicação, poesia, ensinamentos e muitas lembranças marcantes na história" como diz Paulo de Tarso.
    grande abraço

    ResponderExcluir
  4. Oi, João.
    Assim como o Lindoval e mais uma geração de amapaenses (natos e de coração), também fui aluno da professora Aracy no Colégio Amapaense, nos idos de 1965 quando ingressei no ginásio. Já faz muito tempo, mas ainda lembro de sua serenidade e dedicação.
    Um abraço, extensivo à Lidia.

    ResponderExcluir
  5. DEUS me deu o presente de conhecer e de aproveitar momentos maravilhosos na sacada da fazenda do Rio Araguari ao lado desta extraordinária mãe, professora e mulher. Obrigado Senhor!

    Gil Caldas.

    ResponderExcluir
  6. Olá João, Só uma pequena correção, em 13 de fevereiro de 2011 Profa Aracy completaria 98 anos, e não 89. O blog está muito bom, e estou me aprofundando ao estudar a vida desta mulher que teve grande repercussão na vida dos amapaenses. obrigado

    ResponderExcluir