terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Você conhece este motociclista?

(Foto: Reprodução / Arquivo Olivar Cunha)
( Foto compartilhada pelo amigo Olivar Cunha )
Entre inúmeras fotos enviadas, por e-mail, pelo artista plástico Olivar Cunha - amigo compartilhador do blog Porta-Retrato - encontramos esta em que aparece um pioneiro, que era muito conhecido na cidade por usar como meio de transporte, uma antiga moto GUZZI, de fabricação italiana que foi levada para Macapá, por um dos padres do PIME (Pontifício Instituto das Missões Exteriores).
Naquela época não existiam motos de outras marcas na cidade.
Segundo o amigo Obdias Araújo, trata-se do Bianor, sogro dele.
Entre os depoimentos na página de comentários, reproduzimos um último, postado pela leitora Nilza Corrêa, que se identifica como uma das filhas de Bianor.
Pela riqueza das informações que ela nos passa, resolvemos transcrever seu depoimento, na íntegra, para melhor conhecimento dos leitores e possíveis amigos de Bianor:
O motociclista acima é meu pai Raimundo Nonato Banha Corrêa, mais conhecido pelos amigos como “Bianor”. Meu pai nasceu em 06/09/1933, em Macapá, filho caçula de Francisco Alves Corrêa e Maria Banha Corrêa, tendo como irmãos Raimundo (conhecido por “Calango”-policial civil), Joaquina, Josefa e Jair. Ainda adolescente aos 14 anos, foi um dos amapaenses escolhidos para estudar na cidade de Barbacena(MG), onde passou 3 anos estudando. Casou-se em 1954 com Nilza de Magalhães Corrêa com quem teve 09 filhos: Raimunda Ruth, Bianor, Maria Eliete, Maria Elizabeth, Biraelson, Francisco, Nilza Maria, Ana Cristina e Lúcia Regina. Residiu com sua família por mais de 20 anos no Bairro Jesus de Nazaré, na Av. Pe. Manoel da Nóbrega(entre Leopoldo Machado e Jovino Dinoá). Trabalhou na Divisão de Terras do Amapá, INPS, INAMPS e Ministério da Saúde, onde se aposentou em 1983 por tempo de serviço. Meu pai tinha suas raízes no Quilombo do Curiaú e no Bairro do Laguinho, era exímio tocador de caixa de Batuque e Marabaixo, tinha muito orgulho de sua raça e cor. Sócio Fundador da Universidade de Samba Boêmios do Laguinho e do Esporte Club Macapá. Era muito conhecido por ser amante do motociclismo, dentre tantas motos que possuiu, se destaca esta acima (Moto Guzzi 500CC), que foi vendida no ano de 1984 para um colecionador italiano. Faleceu aos 52 anos , em 14/08/1986, às 21:00 Hospital São Camilo e São Luis, de infarto agudo do miocárdio, foi sepultado no cemitério N. S. da Conceição (Centro). Homem honesto e humilde de hábitos simples, Pai amoroso e exemplar, Marido dedicado e um amigo fiel, teve toda a sua existência pautada na honestidade e deixou para todos nós, seus filhos, seu maior tesouro: “O EXEMPLO”.
Obrigada pela fotografia, nós familiares não tínhamos nenhuma foto dele nesta motocicleta, e ficamos muito emocionados.
Um grande abraço. Nilza Corrêa.”
Agradecemos à Nilza, por esta importante contribuição para o blog Porta-Retrato.
E, na oportunidade, solicitamos que a mesma entre em contato conosco, via e-mail (jolasil@gmail.com),  para mais alguns esclarecimentos sobre a matéria.
Aguardamos o contato.
(Matéria publicada. originalmente. no Porta-Retrato, em  09/07/2011)
(Post repaginado em 14 de fevereiro de 2012)

7 comentários:

  1. Janjão, esse aí era o meu sogrão Bianor, Pai do Bianor Oficial do E. Brasileiro, do Bira (grande trompetista da Banda do G.M, hoje na Aeronáutica em Belém.
    Irmão do Biluca, pai do meu cunhado Alcinão bom de porrada e de coração.

    Evoé, Janjão-Velho-de-Guerra!

    ResponderExcluir
  2. Quem fez esta fotografia estava na calçada do Grupo Modelo Guanabara, pois o que se vê atrás do Bianor é o I.E.T.A, onde eu era Instrutor de Banda Marcial, quando não estava no Xodó, tomando rum com Coco-Cola, com o Sena Bastos.

    É isso aí! Albino também era cultura!

    ResponderExcluir
  3. Jeconias Alves de Araújo, o Pintão - irmão de quem ainda choro a morte - também tinha uma Guzzi destas. Foi repassada para o Ezequias. Eu esperava ele dormir, e dava minhas voltinhas lá pela Suerda, Terezinhas Branca e Preta, Casarão e adjacências...

    ResponderExcluir
  4. Lázaro..Eu lembro do seu Bianor nessa moto..Nao lembro onde trabalhava..mas lembro que morava ali perto da Igreja Jesus de Nazaré..Pai do Bianor do Volley

    ResponderExcluir
  5. Oi,esse motociclista se chamava Raimundo Nonato Banha Corrêa,mais conhecido como Bianor.Ele era meu amado avô.Quando ele nos deixou tinha apenas 5 anos,mais lembro muito dele.Meu irmão tem uma foto nessa moto,ela foi vendida 1 ano antes de sua morte,para um colecionador.Como a Sra.Alcilene mencionou,ele morava na av.Padre Manoel da Nobrega,no mesmo lugar ainda moram 2 filhos deles,cujos são meus tios Francisco Neto(Chicão) e a Maria Eliete.

    ResponderExcluir
  6. O motociclista acima é meu pai Raimundo Nonato Banha Corrêa, mais conhecido pelos amigos como “Bianor”. Meu pai nasceu em 06/09/1933, em Macapá, filho caçula de Francisco Alves Corrêa e Maria Banha Corrêa, tendo como irmãos Raimundo (conhecido por “Calango”-policial civil), Joaquina, Josefa e Jair. Ainda adolescente aos 14 anos, foi um dos amapaenses escolhidos para estudar na cidade de Barbacena(MG), onde passou 3 anos estudando. Casou-se em 1954 com Nilza de Magalhães Corrêa com quem teve 09 filhos: Raimunda Ruth, Bianor, Maria Eliete, Maria Elizabeth, Biraelson, Francisco, Nilza Maria, Ana Cristina e Lúcia Regina. Residiu com sua família por mais de 20 anos no Bairro Jesus de Nazaré, na Av. Pe. Manoel da Nóbrega(entre Leopoldo Machado e Jovino Dinoá). Trabalhou na Divisão de Terras do Amapá, INPS, INAMPS e Ministério da Saúde, onde se aposentou em 1983 por tempo de serviço. Meu pai tinha suas raízes no Quilombo do Curiaú e no Bairro do Laguinho, era exímio tocador de caixa de Batuque e Marabaixo, tinha muito orgulho de sua raça e cor. Sócio Fundador da Universidade de Samba Boêmios do Laguinho e do Esporte Club Macapá Era muito conhecido por ser amante do motociclismo, dentre tantas motos que possuiu, se destaca esta acima (Moto Guzzi 500CC), que foi vendida no ano de 1984 para um colecionador italiano. Faleceu aos 52 anos , em 14/08/1986, às 21:00 Hospital São Camilo e São Luis, de infarto agudo do miocárdio, foi sepultado no cemitério N. S. da Conceição (Centro). Homem honesto e humilde de hábitos simples, Pai amoroso e exemplar, Marido dedicado e um amigo fiel, teve toda a sua existência pautada na honestidade e deixou para todos nós, seus filhos, seu maior tesouro: “O EXEMPLO”.
    Obrigada pela fotografia, nós familiares não tínhamos nenhuma foto dele nesta motocicleta, e ficamos muito emocionados.
    Um grande abraço. Nilza Corrêa.

    ResponderExcluir
  7. eu era um garoto quando mestre bianor e calango passavam nessas mots, eu ficava doidiunho pra dar uma andadinha!tempos bom,faiz poucos dias que tive comentando estas historias com minha mae,a conversa surgiu por ela não aprovar minha vida de motociclista!

    ResponderExcluir