segunda-feira, 29 de agosto de 2011

HERNANI GUEDES E SEUS MOCAMBOS

“Os Mocambos” foram pioneiros na divulgação do folclore amapaense, graças à visão do seu Hernani Victor Guedes(foto), que não mediu esforços para realizar o disco, apesar dos percalços desde a gravação (feita de forma simultânea com todos os instrumentos e vozes, na casa do sociólogo e fotógrafo Alberto Uchôa) até a chegada no Recife, onde a fita foi filtrada pela gravadora Rozenblitz, depois de ficar perdida. Bom, depois de achada o disco chegou a Macapá e obteve muito sucesso nas rádios, aparelhagens de som e nos bailes. Suas músicas, que tocavam até no “Carnê Social” (aquele programa que oferecia músicas aos aniversariantes e recém-nascidos, aos que casavam ou aos que eram batizados),...(Fernando Canto)
Um dos sucessos do disco foi “Devaneio”, de autoria do Sociólogo Fernando Canto, que também foi premiada em segundo lugar e melhor Intérprete (José Maria Santos, hoje Jomasan) no IV Festival Amapaense da Canção (1972).
Ouça aqui:
O grupo “Os Mocambos”, pioneiro nos anos 1970 na gravação do marabaixo, ritmo tradicional afro-amapaense que até então não era muito bem visto pela sociedade.
(Foto: Reprodução/blog Som do Norte)
A foto mostra o grupo no baluarte de Nossa Senhora da Conceição da Fortaleza de São José de Macapá, em 1973.
Da esquerda para a direita: Hernani Guedes (violinista),
Guimarães (saxofonista, tecladista, arranjador),
Fernando Canto (guitarra base e vocal),
Aldomário Henriques (guitarra solo e vocal),
Zé Maria Teles (contrabaixo), Tito (Cícero) Melo (voz)
e Pedro Balieiro (bateria)
Ernani Victor Guedes – idealizador do grupo musical - é natural de Cametá, Pará e farmacêutico de profissão.
Hernani chegou ao Amapá em 1950, aos 26 anos, para trabalhar no Hospital Geral de Macapá, levando consigo seu inseparável violino. Antes disso, já tinha conhecido o marabaixo, em viagens que fizera ao então Território Federal do Amapá desde 1946.
(Foto: Reprodução/acervo Cícero Melo)
(Foto: Contribuição do músico Cicero Melo (Tito), ex-integrande dos Mocambos)
Da esquerda para direita: Hernani Guedes, Tito Melo, Aldomário Henriques, José Maria, Pedro Balieiro, Fernando Canto e Guimarães (falecido).
Os Mocambos”, foi formado por volta de 1963. Em 1968 ocorreu a ideia de levar o marabaixo ao disco; o grupo concordou em gravar um LP com 6 músicas autorais e 6 marabaixos. Numa ida a Belém, Hernani combinou a gravação com seu amigo, o fotógrafo Alberto de Andrade Uchôa, que tinha um gravador de teclas com microfone. Uchôa se interessou, ficando de levar o equipamento de gravação para Macapá e depois entregar o  material registrado à  gravadora Rozemblit, em Recife. Deu-se então a gravação das 12 músicas, numa sala improvisada como estúdio, na residência de Uchôa, na Av. Pe. Julio Maria Lombaerd, e em um tempo recorde de quatro horas, das 22h às 2h. Como às 4h Uchôa já pegava o voo para Pernambuco, o grupo gravou e não pôde ouvir o resultado em seguida.
Aliás, demorou para ouvir! Em julho se soube em Macapá que a fita cassete que Uchôa levara havia sido roubada da pousada onde ele se hospedara no Recife. Coincidiu que Hernani soube da notícia quando recebia a visita de Livaldo, dono de laboratório farmacêutico da capital pernambucana, que se comprometeu a localizar o material. Botou um detetive atrás da fita, enfim localizada num sebo recifense em setembro!
Livaldo providenciou a entrega do material à Rozenblit e passados mais oito meses o LP Marabaixo chegava a Macapá "para alegria de de todos os componentes do grupo Os Mocambos, familiares e a comunidade negra", relembra Hernani.
(Foto: Reprodução da capa/acervo particular) 
Capa original (by Carlos Nilson Costa) do disco do Conjunto "Os Mocambos"

Composições do disco
Folclore de domínio público:
1 - Rosa Branca açucena
Ouça:
2 - Olô Olô
Ouça:
3 - Lírio Roxo
Ouça:
4 - Aonde tu vais rapaz
Ouça:
5 - Vem pra cá Yoyô, Vem pra cá Yayá
Ouça:
6 - Eu tinha mamãe, eu tinha
Ouça:
Composições do Grupo:
7 - Devaneio (Fernando Canto)
Ouça:
8 - Tema de Viver (Aldomário e Fernando)
Ouça:
9 - Brasul? Branorte (José Maria Santos - JOMASAN)
Ouça:
10 - Declaração (Hernani Victor Guedes)
Ouça:
11 - Elizabete (Tito e Fernando Canto)
Ouça:
12 - Amor que sonhei (Hernani Victor Guedes)
Ouça:
Músicos participantes do disco: Bateria:  José Maria Santos, Contrabaixo: Eulálio Lucien, Guitarra solo: Aldomário Henrique,Guitarra base: Fernando Canto, Violino: Hernani Victor Guedes, Órgão: Raimundinho, Crooner: Cícero (Tito) Melo, Cantores: Aldomário - Fernando - José Maria e Cícero (Tito), Sax tenor: Ismael, Bongô: Martinho Ramos, Vocal, afuxê: Elizabete Ramos, Fláuta: Cícero (Tito), Banjo: Venilton Leal
O lançamento foi feito no bairro do Laguinho, onde Hernani conhecera o marabaixo ainda nos anos 40 na casa de mestre Julião. A prova do acerto da ousadia não tardou: a diretoria do Círculo Militar, "na época clube fino, da alta sociedade local", convidou “Os Mocambos” para lançar o disco num baile do clube. Era um respaldo considerável: "Desse dia em diante o chique era dançar o marabaixo nas festas onde Os Mocambos tocavam."
Hernani Victor Guedes foi o primeiro músico a gravar um LP, mostrando não somente as composições dos componentes do grupo, mas o primeiro a divulgar a raiz do folclore amapaense, o Marabaixo. Possui músicas gravadas em CD’s de coletâneas comemorativas ao aniversário de Macapá, participou de vários festivais de música. Em destaque para o I Festival da Canção Amapaense (1971), onde obteve o 2º Lugar e venceu o prêmio de música mais popular, com a canção “Declaração”.
Ouça aqui:
(Foto: Reprodução/blog Memorial Poço do Mato)
(Foto gentilmente cedida pela amiga Neca Machado (tem direitos autorias reservados)
Atualmente, Hernani Victor, é integrante como primeiro violino da Orquestra Primavera, tendo se apresentado no Teatro Nacional do Distrito Federal/Brasília, no Teatro das Docas do Pará e na Inauguração do Teatro Pinheiros – SESC Pinheiros em São Paulo. Realiza apresentações em shows institucionais e particulares como: Feira Agropecuária, Macapá Verão, feiras culturais em escolas públicas, Teatro das Bacabeiras, Convenções do Rotary Internacional, festas de casamentos, aniversários e outros eventos.
Suas apresentações são marcadas pela irreverência das melodias apaixonadamente envolventes, que vibram no bailar do arco nas cordas do seu violino mágico, mostrando nos seus shows um estilo próprio e único desse artista erudito para tocar a música brasileiramente Amapaense.( Kiara Guedes – filha de Hernani)

3 comentários:

  1. Caro Lásaro, (sempre tão perto). Copie o stream de Devaneio, reeditei-a no Sound Forge e a guardei na pasta que tenho no 4shared.com (http://www.4shared.com/audio/Vtc8dUCv/Os_Mocambos_-_Devaneio__banda_.htm). Limpei e ficou como nova. Espero que não estar fazendo coisa errada.
    Abraço do amigo Diniz (http://dinizbotelho.blogspot.com).

    ResponderExcluir
  2. Fiz um zip com as músicas e com as tags certinhas.

    http://www.4shared.com/zip/zb6H7R_Q/Os_Mocambos.html

    E vamos imortalizar a música brasileira.

    Muito obrigado pela pesquisa.

    ResponderExcluir
  3. EU SABIA QUE O NIVITO SÓ PODIA TER PEDIGREE... ISSO É A VERDADEIRA HISTORIA DA CULTURA AMAPAENSE... PARABENS

    ResponderExcluir