sábado, 3 de outubro de 2015

Missa de 7º dia de Guilherme Rolla Soares

Completam-se neste sábado (03/10), sete dias de falecimento de GUILHERME ROLA SOARES, um dos filhos do casal de Pioneiros amapaenses João Soares Filho e Neyde Rolla Soares.
Guilherme faleceu aos 61 anos de idade, às 18h45min do domingo, 27/09/2015.
Deixa esposa Rosilene Soares e três filhos menores: Mateus, Marjorie e Maitê e três do primeiro casamento (todos maiores) Téo, Lívio e Laura.
Seu corpo está sepultado no Cemitério Nossa Senhora da Conceição, no Centro da cidade.
A missa de sétimo dia será celebrada na Igreja Jesus de Nazaré, às 19h, deste sábado, em Macapá.
Guilherme Rolla Soares nasceu em Macapá, em 25/06/1954.
Fez seus estudos na Escola Paroquial São José e Escola Industrial de Macapá. Concluiu o segundo grau no Colégio Amapaense. Fez o curso de CADES. Atuou como professor do Município de Macapá e do Estado, com as disciplinas História e Geografia.
Desde muito jovem gostou de música. O primeiro conjunto que organizou foi na Serra do Navio, chamado OS ZIMAS e depois THE TRAMPS. Sempre foi baterista até o acidente de carro, em 02/11/1974, quando veio a perder o braço direito.  Dai então fez uma adaptação em um contrabaixo e passou a ser um grande e admirado contrabaixista.
Há cinco anos vinha sofrendo com um câncer (mieloma múltiplo); chegou a fazer há quatro anos, em SP, transplante medular.
O primeiro irmão de Guilherme - João Soares Jr. - morreu muito pequeno num lugarejo próximo à Serra do Navio, alto Amapari, chamado Villaje Pannel, onde seus pais foram morar logo que casaram (1941), e onde nasceram Emídio (falecido) e Déa Soares.
Um detalhe importante: O Sr João Soares, contraiu matrimônio pela primeira vez, em Belém-PA, porém ficou viúvo logo após o nascimento de seu primeiro filho, Leonardo Soares, que reside em São Paulo. 
Por ter ficado órfão muito pequeno, o garoto foi criado pela mãe de Guilherme, junto com os outros irmãos do segundo matrimônio.
A matriarca Neyde Rolla Soares, com 94 anos, em plena lucidez, vive com os filhos Déa, Gilka, Miguel e Sérvula, em Macapá.
Fonte: Foto e informações de Gilka Soares
(Atualizado às 02h13m, de 04/10/2015)

2 comentários:

  1. Édi Prado - Lembro dele. O vi tocar algumas vezes. Músico habilidoso. Uma pessoa alegre, festiva e gostava de estar em meio a muita gente. Não éramos amigos, embora nos cumprimentássemos. Estudámos na mesma época no Colégio Amapaense e esteve no palco do Lennon, tradicional bar das décadas de 70 e 80. Deixa boas lembranças. Que vá com Deus e na paz, como sempre viveu por aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada pelas palavras Edi, meu irmão realmente era tudo isto, e principalmente sempre, mesmo nos mais difíceis momentos, uma pessoa alegre e de um astral único.A nós agora resta lembranças e uma saudade imensa, mas temos certeza, por tudo que passou nesta vida, Deus já o recebeu de braços abertos.

      Excluir