terça-feira, 14 de maio de 2019

Foto Memória de Macapá: Mestre Zacarias

O Pioneiro Zacarias Álves de Araújo - filho de Pedro Justino de Araújo e Joana Monteiro de Araújo - nasceu dia 04 de abril de 1910, em Goianinha do Norte, uma cidade há 300 quilômetros de Natal, Rio Grande do Norte.
Antes de ir para Macapá, mestre Zacarias passou um período de sua vida, em vários municípios do Pará, e onde ele chegava montava um curtume (operações de processamento do couro cru).
Em Belém, Mestre Zacarias conheceu a professora paraense Odália Vieira de Araújo, com quem se casou e teve 7 casais de filhos, ou sejam 7 homens: Hilkias, Milkbuquias, Zildequias, Jeconias, Hodias, Ezequias e Obdias, e 7 mulheres: Ivonete, Ivonilde, Iranilde, Ionilde, Elionilde (gêmeas já falecidas) Renilde e Iranete.
Além das gêmeas, são falecidos Zildequias, Hodias, Jeconias, Iranilde e Ivonete.
Ao chegar em Macapá, em 1947 - no início do Território Federal do Amapá – Mestre Zacarias exerceu suas atividades primeiramente como sapateiro na Fortaleza de São José de Macapá, e posteriormente foi levado por Janary Nunes, para a Escola Industrial de Macapá, na época dirigida por Glycério de Souza Marques. Lá na Industrial ele confeccionava coturnos para os integrantes da Guarda Territorial; fazia botas para aquelas pessoas que tinham deficiências e deformações nos pés; fazia também calçados para alunos pobres da rede pública do ex-Território; redengues (instrumento utilizado para açoitar o cavalo) e cintos de couro. Além das tarefas citadas, ele executava outras tantas inerentes à sua função de sapateiro tais como confecções e remendos nas velas das primeiras embarcações da frota do Governo do Amapá, que faziam viagens para o interior do Território, assim como, fazia também sanefas, umas lonas resistentes, que cobriam a carroceria e protegiam as cargas dos  caminhões do Governo.
Sabe-se que o General Ivanhoé Gonçalves Martins – que governou o Amapá de 10 de abril de 1967 a 06 de outubro de 1972 – colecionava na residência muitas unidades do rebengue “umbigo de boi”, confeccionadas por Mestre Zacarias.
Mestre Zacarias teve como contemporâneos na Escola Industrial, entre outros, os pioneiros Mestre Rosendo Góes, Professores Feijão e Antenor Epifânio Martins o “Pigmeu”.
Além da Escola Industrial ele também lecionou na Escola Coaracy Nunes, em Macapá e na Escola Vidal de Negreiros, no município de Amapá, na época em que o prefeito de lá era o Sr. Leonel Nascimento, falecido em Macapá, em janeiro de 2019. Dentre os colegas de Mestre Zacarias, na “Vidal de Negreiros”,  destacamos o saudoso jornalista Paulo Conrado Bezerra, o desembargador aposentado Luiz Carlos Gomes dos Santos e o professor aposentado Eurico de Jesus Moreira, hoje morando em Fortaleza-CE.
Mestre Zacarias também era músico flautinista, isto é, tocador de flautim, uma flauta menor. Ele aparece sem o quepe à direita da foto acima.
É importante frisar que o flautim é um instrumento musical da família da flauta, soando uma oitava acima da flauta soprano, da qual possui igual digitação.
Segundo o site Wikipédia, o flautim é constituído por um pequeno tubo de cerca de 33 cm de comprimento e um bocal, e foi introduzido em orquestra no século XIX, sendo usado na música erudita moderna. Produz o som mais agudo da orquestra.
No tempo de rapaz, Mestre Zacarias tocava banjo com os irmãos em uma orquestra de família, em Belém do Pará.
Mestre Zacarias, em Macapá, morou inicialmente em uma casa na beira do rio, na antiga área do Elesbão onde hoje é o bairro Santa Inês, próximo à Fortaleza de Macapá. Depois ele foi para uma área mais firme no Bairro do Trem. Esteve algum tempo, também, ocupando uma área ao lado da sede do Trem Desportivo Clube, onde hoje funciona uma panificadora.
Nas idas e vindas ele também residiu na Av. Pe. Manoel da Nóbrega, entre as ruas Eliezer Levy e General Rondon, no Laguinho.
Finalmente, fixou-se à Rua São José n° 2, canto com a Av. Pedro Baião.
Mestre Zacarias Álves de Araújo, faleceu em Macapá com 73 anos de idade, no dia 22 de novembro de 1983, e seu corpo descansa em paz, em jazigo da família, no Cemitério Nossa Senhora da Conceição, no Centro da cidade, onde também estão sepultados a esposa Dona Odália e os filhos Zildequias e Ivonete.
A Câmara Municipal de Macapá, prestou uma justa homenagem à sua memória, colocando o nome do ilustre pioneiro em uma das artérias do Bairro Santa Inês: Av. Prof. Zacarias Araújo.
Com informações de Obdias Araújo, filho do biografado.
(Última atualização em 14/05/2016, às 13h)

Nenhum comentário:

Postar um comentário