quinta-feira, 17 de abril de 2014

Memória do Rádio - Pioneiro - Amazonas Tapajós

(Foto: Reprodução/Acervo histórico/RDM)
Para ampliar clique na foto
O senhor da foto é o saudoso Amazonas Tapajós - nome artístico de Dorival Nunes de Lemos - cuja voz foi uma das mais ouvidas e famosas através do microfones da ZYE-2 - Rádio Difusora de Macapá.
Dorival Nunes de Lemos, conhecido como Amazonas Tapajós, nasceu em Belém do Pará no dia 28/03/1917. Filho do Português Ricardo Pessoa de Lemos e da belenense Dolores Nunes de Lemos. Era o terceiro de seis filhos. Antes de ir para o Território do Amapá, morou no bairro do telégrafo, onde era conhecido como "alemão do telégrafo". Migrou para o Amapá, na década de quarenta. A princípio, se estabeleceu na cidade de Oiapoque, onde trabalhou no extinto SPI - Serviço de Proteção ao Índio, hoje FUNAI - Fundação Nacional do Índio. Residiu por pouco tempo na cidade de Amapá. Em seguida foi para Macapá, onde iniciou a carreira de radialista na Rádio Difusora de Macapá. Foi um dos apresentadores do Clube do Guri. Teve uma breve passagem pela extinta Rádio Educadora São José de Macapá. Paralelamente à carreira de radialista, atuou no ramo da publicidade volante, ao lado do seu companheiro inseparável, Edvar Mota. Por fim, labutou como inspetor de alunos no antigo Colégio Comercial do Amapá-(CCA), atual Escola Comercial "Gabriel de Almeida Café".
Amazonas Tapajós, faleceu em Macapá, no dia 23/09/1989, aos 72 anos, e foi sepultado no cemitério de São José, no Buritizal. 

Fonte: Informações de Waciman Lemos, filho do biografado, via Facebook.
Post reeditado e repaginado em 18/04/2014

9 comentários:

  1. Era ele mesmo que eu estava procurando! Ja ia reclamar uma foto, João. Seu Tapajos, como chamavamos, foi meu vizinho de rua, na Candido Mendes e pai de amigas minhas.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Meu Avô...que saudades,deve estar ao lado de minha vó Dulceneia Lemos...descansem em PAZ...

    ResponderExcluir
  4. Uma voz brilhante.Deixou um grande legado na historia do Amapá.

    ResponderExcluir
  5. Uma pessoa que deixou muita saudade, foi um pai para mim e p meus filhos, um sogrão mesmo, que jamais vou esquecer td q ele e D. Dulce fizeram p mim e p minha familia.
    Onde eles então tenho certeza q e mais um luz que brilha no horizonte........
    Saudades

    ResponderExcluir
  6. meu saudoso avô...Figura marcante na sociedade amapaense, deixou muitos ensinamentos, que me foram passados através da minha mãe (Graça Ierecê Lemos). Tenho certeza que está em um bom lugar junto à minha vozinha Dulce.

    ResponderExcluir
  7. ~ Meu avô ♥ , saudades . Descanse em paz com minha vovozinha Dulcinéa.

    ResponderExcluir
  8. Corrigindo , ñ tive a honra de conhecê-lo .. Mais sei a falta que isso me faz . Sempre ouvi falar tão bem dele *---* , minha vózinha ainda tive a oportunidade de fazê-la brincar de boneca cmg , rs

    Bom, foi sempre um honra ! Obrigada vovó . ♥

    ResponderExcluir
  9. Édi Prado - Voltei para Macapá em 1985, já formado em jornalismo. Fiz amizade com ele, Pedro Silveira, Segura o Balde, Isnard Lima, Tio Alcy e outras figuras bebemoráveis. Nesta época em gostava de cerveja. Foram as melhores que consumi junto com eles. Ri muito e aprendi um bocado. Gozadores por excelência. Parabéns, Janjão por perpetuar esta gente que fez história no Amapá

    ResponderExcluir