quarta-feira, 23 de abril de 2014

Seu Nathan, do "Café Continental"

NUTA (NATHAN) WOLF PECHER nasceu em Bucowina(*), na Romênia; hoje pertencente à Ucrânia.

Ao chegar em Belém, naturalizou-se  brasileiro e, em 1949 chegou em Macapá,  com sua esposa Syme Zagury Pecher e o filho Simão Arão Pecher.
Seu Nathan Wolf Pecher, foi o primeiro asquenazi(**) do Amapá.

Em Macapá, seu Nathan dirigiu inicialmente a Sorveteria Central - juntamente com a matriarca da família Zagury, Dona Sarah Roffé - que funcionou num prédio erguido na esquina da Rua Cândido Mendes com Av. Mário Cruz, na Praça Veiga Cabral, que pertencia à família Zagury. (foto abaixo)
(Foto: Reprodução de arquivo)
Depois do fechamento da Sorveteria Central...
Neste prédio branco, de madeira com várias portas, funcionou o antigo Bar Café Continental.
...seu Nathan abriu o Café Continental - em sociedade com seu primo Mair Naftali Bemerguy - na rua São José, entre as Avenidas Presidente Vargas e Coriolano Jucá.

A revista Amazônia Judaica publicou em suas páginas, em março de 2002, matéria intitulada  "História de um artista e contador de histórias" destacando a habilidade de Nuta, na confecção de objetos de arte dentro de garrafas (opus in vitro)  que aprendeu com seu pai, que também era artesão."
A revista detalha: "Com infinita paciência e perfeccionismo, colocava em suas "garrafas mágicas", Sucot(1) ricamente ornamentadas, cenas de casamentos, interiores de sinagogas, paisagens diversas, Menorot(candelabro), etc. Realizou inúmeras exposições, e recebeu várias premiações por seus trabalhos. Nuta Pecher falava hebraico, idiche(2),  e era um exímio contador de histórias"

O ex-jogador Zequinha Monteiro - que foi grande goleiro nos tempos áureos do futebol amapaense - deu seu testemunho sobre a existência da Bar Continental: "Cheguei à conhecer o Continental, era um bar com bilhar e sinuca, um jogo de mesa e bolas que a rapaziada da época gostava de frequentar, era uma das poucas diversões que existia. Alguns jogadores de futebol do Amapá e Macapá, se divertiam nesse local (Macapá antiga)". (Zequinha Monteiro)

O historiador Nilson Montoril fez o seguinte comentário (via Facebook) sobre o homenageado: "O nome correto dele era Nuta Wolf Pecher. A pronúncia do nome Nuta, que é Natã, originou a forma como a maioria dos que o conheceram o chamasse de Natan. Isso fazia as pessoas confundirem o Nuta, sócio do Mair Naftali Bemerguy no Café Continental, com o Natan Carvalho, que trabalhava na Divisão de Produção, Seção de Fomento Animal, na Fazendinha. O Mair e o Nuta eram membros da comunidade judaica de Macapá e primos. O filho do Nuta, que nos conhecíamos como Wolf foi meu contemporâneo no Colégio Amapaense, em meados da década de 1960. As informações do Zequinha são perfeitas."
"O Nuta foi Venerável da Loja Maçônica Duque de Caxias, em Macapá"; Se não me engano, o segundo."

Após o fechamento do Café Continental seu Nathan foi morar em Manaus, onde viveu até seu falecimento ocorrido em fevereiro de 1996.
Seu filho Simão Pecher, que é Médico - Alergista e Dermatologista - continua residindo e trabalhando na capital amazonense.

Entenda:


(*) A Bucovina ou Bucóvina (em ucranianoБуkoвинa; em romenoBucovina) é uma região histórica da Europa Oriental, localizado no sopé nordeste dos Cárpatos, dividido politicamente entre dois países, Ucrânia(Tchernivtsi) e Romênia (Judeţ Suceava). Sua área total é de aproximadamente 25 mil km². (Wikipédia)


(**) Asquenazes ou asquenazim é o nome dado aos judeus, provenientes da Europa Central e Europa Oriental. (Wikipédia)

(1) Sucot (do hebraico סוכות ou סֻכּוֹת sukkōt, cabanas) é um festival judaico que se inicia no dia 15 de Tishrei de acordo com o calendário judaico. (Wikipédia)

(2) Idiche Língua falada pelos judeus, principalmente na Rússia, Polônia, Lituânia, Hungria, Romênia, E.U.A. e Brasil. (Wikipédia)

(Última atualização em 24/04/14, às 20h45)

Nenhum comentário:

Postar um comentário