sábado, 17 de setembro de 2011

Quebrou? Flip dá outro!

Lembra dele?
O inconfundível FLIP GUARANÁ!
(Foto: Reprodução do blog do Fernando Canto)
(Foto extraida do blog Canto da Amazônia do amigo Fernando Canto)
Nada mais sugestivo: Se seu copo quebrasse, Flip dava outro. E dava mesmo.
Quebrou? Flip dá outro! Era assim que começava a propaganda que anunciava promoção de prêmios ao ouvinte que encontrasse o desenho de um copo no interior da tampinha da garrafa dos produtos FLIP:  FLIP GUARANÁ - que foi o primeiro guaraná da cidade e o FLIP LARANJADA.
Eram dum sabor inigualável, sem dúvida!
O “reclame”, como se chamava naquela época, era veiculado no Carnet Social – o programa da família amapaense - mais ouvido da Rádio Difusora de Macapá, e depois também pela “Agenda Social” da Rádio Educadora São José de Macapá.
Entre inúmeros, prêmios existiam os copos personalizados do produto, que podiam ser trocados no caminhão de distribuição.
Não precisa dizer que tais promoções alvoroçavam a criançada “à caça das fichinhas” em frente aos bares de maior movimento pela cidade.
A fábrica ficava aos fundos da “Casa Leão do Norte”, atrás da Oficina da Ford.
O primeiro concorrente do FLIP, em Macapá, foi o SUPER GUARANÁ lançado pelo farmaceutico Sr. Francisco Serrano.
Outro forte concorrente que vinha do Pará era o Guaraná Garoto.
Com o fechamento da fábrica do Flip Guaraná surgiu um outro refrigerante na praça, que era produzido pelo Sr. Bitencourt, o Guaraná Glória, cuja fábrica foi instalada num barracão, na praça Floriano Peixoto, lá na Av. Pedro Baião no mesmo local onde antes funcionava a Saboaria Macapá, dos portugueses Isaac e Manoel, no bairro do Trem, bem ao lado da casa do renomado violonista Nonato Leal.
Vejam, quantas indústrias de refrigerantes que surgiram em Macapá e que desapareceram.
Fonte de Referência: Blog Canto da Amazônia
(Repaginado em 17.09.2011)

4 comentários:

  1. Até hoje lembro de como era gostoso o Flip Guarana!

    ResponderExcluir
  2. Jamais imaginei que era um produção local.

    ResponderExcluir
  3. Eu JOSE ALVES DE LIMA,o guarana Flip fez parte de minha historia e que na época meu pai sr. Ataíde em virtude de uma cirurgia em 1962,ficou impossibilitado de trabalhar com alfaiate que era sua profissão desde quando chegou no território do Amapá em 1943,meu pai abriu um bar na rua são Jose esquina com cora de carvalho, com jogos de sinuca, bilhar, domino,e quase diariamente meu pai mandava comprar guarana na fabrica que ficava nos fundos da loja do casa leão do norte quem administrava na época era o irmão do sr moisés Zagury sr Issac Zagury, onde trabalhava na era sr MARIO/CASEMIRO/SOLDADO que era o motorista da distribuição a nos bares e restaurantes locais.Que época boa que não volta mais era um guarana saudável.

    ResponderExcluir
  4. Certamente era um guaraná saudavel, a fruta chegava de Maues e era torrada em tachos no quintal de nossa casa, depois Leila e meu pai Isaac, faziam o xarope do guaraná. A fabrica era tb. nos fundos da nossa casa, nós ajudavamos a cortar os selos, pois cada garrafa era selada. Com a morte de meu pai em 1972, a fabrica fechou...a Coca Cola tinha entrado fazendo forte debate quanto a qualidade do guaraná Flip. Meu pai ficou desgostoso... Mario e Soldade, Seu Brito, Luis e outros tantos trabalhavam na fábrica, todos com carteira assinada e tio Casemiro era sócio. Sarah Zagury

    ResponderExcluir