quinta-feira, 3 de junho de 2010

Apresentação de Educação Física no Estadio Glicério Marques

(Reprodução)
Ano 1958 - Alunos de diversos estabelecimentos de ensino da rede pública se apresentavam todos os anos na tarde do dia 13 de setembro no Estádio Glicério de Souza Marques.
Era um espetáculo de sincronismo e dedicado trabalho dos professores de educação física sob o comando o Tenente Irineu da Gama Paes, e Professores Lucimar (principe malaio), Wanda Lima Costa, Expedito Cunha Ferro(91), Zagalo e tantos outros. As canções eram ensaiadas o ano inteiro e acompanhadas, no dia do evento, pela Banda de Música da Guarda Territorial.

Esta era uma das canções que os alunos cantavam.

Ouça no play abaixo:
(Clique na seta)

Se quizer baixar clique no link abaixo:

8 comentários:

  1. Sabe, toda vez que eu acesso este blog, percebo o quanto nossa sociedade era feliz e não sabia: nossos pais e avós tiveram uma vida boa, saudável, com limitações e disciplina q fizeram com que eles tivessem respeito e amor pelas pessoas......e nós? que merda de juventude é essa que criamos?? uma juventude sem limites, que faz o que quer e qnd quer.... queria tanto ter nascido nessa época e vivencidado toda essa história, pois hoje simplesmente não há mais história pra se contar do Amapá... está cada vez mais difícil de impressionar a sociedade, mas vc caro colega João Lázaro, conseguiu faz isso comigo....meus parabéns pela sua iniciativa de fazer o resgate de nossa origem, do nosso tão querido Amapá que muitos só sabem usar como um parasita e ir embora! abraços.

    Rayssa

    ResponderExcluir
  2. Alo, João Lázaro:
    O evento ao qual você se refere, até onde me lembro, era o Dia da Bandeira (19 de novembro).
    Participei dessa apresentações tanto como aluno do antigo curso primário (pra quem não lembra ou não sabe corresponde ao atual ensino fundamental de 1a. à 4a. série). Na época (mais ou menos entre 1960 e 1964), pelo então Grupo Escolar Alexandre Vaz Tavares. Lembro, até que, antes das apresentações, os alunos selecionados através dos exaustivos ensaios, recebiam tecidos brancos para confecção de shorts. Na época, ninguém comprava pronto; quem fazia isso eram as costureiras. Posteriormente, pelo Colégio Amapaense, juntamente com alunos de outros colégios. Era uma festa. Se a rayssa fosse de nossa época, estaria mais saudosa, ainda.
    Abraços,
    Aloisio Menezes de Cantuária
    aloisiocantuaria@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá Rayssa, obrigado pela visita.
    e o Aluisio tem toda razão ao retratar aquela faze, como diz a Rayssa: éramos felizes e não sabiamos.
    Obrigado pela visita.

    ResponderExcluir
  4. Eu que agradeço ao carinho.... mas é a mais pura verdade... tenho apenas 24 anos, mas ainda tive minha infância no final dos anos 80... cheguei a participar das festas de carnaval do santana esporte clube, passei minha tão feliz infancia correndo pela vila amazonas... e mesmo sendo de uma outra época, sinto como se tivesse feito parte desses anos dourados q jamais voltarão... Desde que me entendo por gente cultivei o patriotismo e o amor pelo Amapá, participando sempre desses eventos cívicos marcantes para nossa história... Contudo, nada demais comparado ao que outros como vcs vivenciaram... É lamentável que hoje nossa juventude esteja tão consumista e materialista, que tenha esquecido dos valores e do amor pela terra em que vivem... teremos um futuro sem passado.......que graça terá? abraços a todos!

    ResponderExcluir
  5. João Lázaro, sempre visito seu blog e fico emocionada com as fotografias e cometários da nossa querida cidade de Macapá.

    ResponderExcluir
  6. João, o acontecimento retrado na foto se refere REALMENTE aos festejos de 13 de setembro com a demonstração de educação física no estádio Glicério Marques, à tarde. Na época só realizava-se o desfile de 7 de setembro para o qual recebíamos fardamento e botas para desfilar. O 13 de sembro era festejado a tarde, com a "demonstração", como diziamos, no estádio. O Dia da Bandeira não era comemorado e só passou a sê-lo com o advento do regime militar, mesmo assim,poucas vezes e, terminava com a incineração dos pavilhões antigos. Era a nossa fase do curso primário que eu amava e por isso fazia questão de participar dessas "demonstrações", sempre cantando o hino que vc. colocou no site. João, lembra que 13/9 era também a abertua da Feira Agropecária na Fazendinha, mas pela manhã íamos ao estádio receber vários quilos de carne, distribuídos pelo Governo gratuitamente. Pois é, isto já teve em Macapá. Não sou saudosista mas, oh tempo ! Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Obrigado à Celina e ao amigo Lindoval.
    Realmente Lindoval velhos tempos que não voltam mais, infelizmente!
    Esse hino me marcou muito "Cantar Para Viver" que os alunos cantavam nessa demonstração.
    Eu trouxe para os leitores se lembrarem - uma versão capela com Os Meninos de Petrópolis", quem ainda não ouviu pode ouvir aí no play, em cima.
    Me lembro de tudo isso sim, inclusive sobre as idas para a Fazendinha para participarmos da Exposição de Animais e Produtos Econômicos.
    Iamos pegando poeira na carroceria dos caminhões, pois naquele tempo não haviam asfaltado a rodovia.
    E a guerra de pedra entre os alunos do Barão do Rio Branco contra os do Alexandre Vaz Tavares? Lembra?
    Nossa!

    ResponderExcluir
  8. Amo mergulhar nestas páginas feitas com carinho à nossa querida Macapá. Sou vidrada na história antiga da minha terra . E quero agradecer por você ter publicado em outra página coisas interessantes sobre o meu Pai Miguel Ramos Ferreira. Me emocionei ao ler. Abraço. Muito obrigada.

    ResponderExcluir

Foto Memória de Macapá: Pioneiros de Macapá

Trazemos para o Porta-Retrato foto compartilhada pelo amigo Luiz Pessoa, com imagens de um evento social e esportivo, no início dos anos...