terça-feira, 15 de junho de 2010

Três Pioneiras do Magistério Amapaense

(Reprodução/Arquivo pessoal)

(Para visualizar melhor, clique na imagem)

Ano 1973 - Mestras pioneiras da Educação do Amapá: À esquerda: Profª Guíta (Raimunda Mendes Coutinho); ao meio Profª Virgó (Raimunda da Silva Virgolino) e à direita Profª Esther da Silva Virgolino.

8 comentários:

  1. Saudosa Profa. Esther, minha amiga, Profa. Virgó e Profa. Guíta, um trio pra não botar defeito, na nossa época foram EDUCADORAS DE PRIMEIRO TIME, nada que ninguém possa dizer ao contrário, sempre tive uma grande admirição e carinho pela Profa. Esther. João grande abraço e parabéns pelas suas fotos. Carlos Teixeira

    ResponderExcluir
  2. Parabens pelo blog.
    Todo dia dou uma passadinha aqui, virou hábito.
    Faço uma viagem no tempo vendo estas fotos,

    ResponderExcluir
  3. ANTENOR RODRIGUES LINS17 de junho de 2010 19:03

    Fui aluno do Colégio Alexandre Vaz Tavares quando a Professora Guíta foi Diretora do mesmo e fui aluno da Professora Vigolino.
    Os alunos que aprontavam na aula dela sempre eram fragados na sua peraltice, a causa era que por causa de um estrabismo os alunos nunca sabiam se ela estava olhando para êles ou não.
    Era muito engraçado.
    Grandes Mestras.

    ResponderExcluir
  4. Carlos que prazer...
    A madrinha Esther era a nossa Dinda, lembra?
    Resumo carinhoso da palavra madrinha.
    Quantas lembranças...

    ResponderExcluir
  5. Antenor...
    Realmente os alunos da Virgó eram sempre surpreendidos por ela.
    Eles aprontavam mas ela estava vendo tudo.
    São detalhes que nunca se esqueçe mesmo.
    grande abraço e obrigado.

    ResponderExcluir
  6. Fui aluno da Profª Guíta na Esc. São José, na Prelazia. Lembro-me bem que na sexta-feira havia sabatina de taboada. Era um nervosismo só. Quem não acertasse as resposta orais de multiplicação, na hora levava um " bolo" com uma régua de madeira que ela possuia. E ai de quem reclamasse, levava dois. A negada saia de mãos ardidas.

    ResponderExcluir
  7. Olá Lindoval,
    Eu também passei por essa experiência.
    Só que no Alexandre Vaz Tavares onde fiz meu Curso Primário (Fundamental), no tempo da profª Maria Carmelita do Carmo (primeira diretora da escola).
    Nas sextas feiras tinha a tal sabatina de tabuada; e os bolos não eram de régua não, e sim de palmatória com um buraco no meio.
    Se puxasse a mão a batida era toda nos dedos, doía mais ainda. Realmente não era nada fácil não.
    E o mais importante de tudo era a autoridade das professoras que recebiam total apoio dos pais.

    ResponderExcluir
  8. Onde posso achar mais fotos da professora esther?

    ResponderExcluir