quarta-feira, 1 de junho de 2011

Os 99 anos de nascimento de Janary Nunes

Janary Nunes foi o primeiro e o que governou mais tempo o Amapá (quase 12 anos):
De janeiro de 1944 a fevereiro de 1956.
Foi ainda Presidente da Petrobrás, embaixador do Brasil na Turquia e deputado federal pelo Amapá.
(Foto: Reprodução de Arquivo)
Janary Gentil Nunes nasceu na cidade de Alenquer, Município do Pará, em 1° de junho de 1912, filho de Ascendino Monteiro Nunes e Laurieta Gentil Nunes. Fez o curso primário nos grupos escolares de Alenquer e Óbidos, no baixo Amazonas, Estado do Pará e Escola Militar de Realengo-RJ no período de 1930 a 1934. No ano de 1934 assumiu a direção da revista da Escola Militar. Serviu no pelotão em Clevelândia do Norte no Oiapoque nos anos de 1936/37. Participou dos cursos de Transmissões da 5ª Região em Belém-PA-1942 e aperfeiçoamento de oficiais na Vila Militar, Distrito Federal - 1949. Na sua vida militar assumiu o cargo de Diretor Técnico da Federação dos Escoteiros do Paraná e Santa Catarina em 1938/39; participou da organização que dirigiu a expansão do movimento escoteiro no Sul do Brasil; assumiu funções de instrutor no curso de chefes de Escoteiros em Curitiba, Petrópolis e Belém, de 1939/40; foi Secretário e Relator da Comissão lnterministerial do Exército, Marinha, Justiça e Educação; foi incumbido da elaboração do Decreto-Lei 43.545 de 31 de julho de 1940 que regulamentou o som, a leitura e o culto dos símbolos nacionais do Brasil; comandou o Pelotão de Oiapoque, na fronteira do Brasil com a Guiana Francesa, no período de 1940/1941; comandou a 1ª Companhia Independente de Metralhadoras Antiaéreas, incumbida da defesa da Base Aérea de VaI de Cans, em Belém-PA e oficial de ligação entre o Gal. Comandante da 8ª Região Militar e o Comando das Tropas norte-americanas de Belém, recebendo a Condecoração da Ordem do Mérito dos Estados Unidos, bem como a publicação de elogio no Boletim de 1/06/1943 do General Paula Cidade, Comandante da 8: Região Militar. Com a criação dos Territórios Federais, o Presidente da República Dr. Getúlio Vargas, através do Decreto-Lei n° .3.839, de 21 de setembro de 1943, nomeou para o cargo de Governador do Território do Amapá o Capitão Janary Gentil Nunes, o qual chega à Macapá num avião da Força Aérea Brasileira, no dia 20 de janeiro de 1944...,
(Foto: Reprodução de Arquivo)
...com sua esposa Iracema Carvão Nunes e seus dois filhos Iracema e Janary, acompanhados do Ministro Negrão de Lima, representando o Presidente da República, uma comitiva de deputados e convidados especiais para assistirem à solenidade de posse. De Belém do Pará chega à Macapá  o iate "Coração de Jesus", trazendo dezenas de personalidades paraenses. O porto de Macapá lotou de embarcações vindas de Alenquer, Breves, Chaves, Afuá, Almerim trazendo visitantes. A solenidade ocorreu no prédio da antiga Intendência de Macapá, presidida pelo Ministro da Justiça e Negócios Interiores, com a leitura do ato do Presidente, e o Termo de Posse assinado pelo Ministro e pelo Governador. Em seguida o Governador do Pará fez a leitura do ato de transferência para o Território do Amapá de todos os bens patrimoniais existentes nas terras antes pertencentes ao Pará. Após, o Governador Janary Gentil Nunes fez seu discurso, citando que, naquele momento, estava falando para as 4.192 pessoas residentes nas áreas urbanas e suburbanas de Macapá e, no final, apresentou seu secretariado, composto dos senhores: Raul Montero Valdez, Secretário Geral; Paulo Moacyr de Carvalho, Diretor do Serviço de Administração Geral - Geral - SAG; Capitão Humberto Vasconcelos, Chefe de Polícia; Pedro Lago da Costa Borges, Diretor da Divisão de Saúde; Otávio Mendonça, Diretor da Divisão de Educação; Hildegardo Nunes, Diretor da Divisão de Obras; Oscar Leite, Diretor da Divisão de Terras; Arthur de Miranda Bastos, Diretor da Divisão de Produção; Paulo Eleutério Cavalcante Nunes, Diretor dos Serviços Industriais; José Miranda, Diretor do Serviço de Geografia e Estatística; Pauxi Gentil Nunes, Chefe do Gabinete; Coaracy Gentil Monteiro Nunes, Representante do governo no Rio de Janeiro; Benedito Amorim, Representante do Amapá em Belém; Odilardo Silva, Prefeito de Macapá; Deloriano Ruy Seco Gemaque, Prefeito de Amapá e Francisco Torquato de Araújo, Prefeito de Mazagão. Governou o Amapá no período de 1943 a 1956, citando-se como principais realizações a construção de 10 casas para Diretores; 20 casas para funcionários; 9 grupos escolares; 99 escolas primárias; o Ginásio de Macapá; a Escola Doméstica; o Instituto de Educação; a Escola Industrial; a Escola de Iniciação Agrícola; a Escola Técnica de Comércio; o Hospital Geral de Macapá; 4 Centros Médicos; 16 Postos Médicos; conseguiu a aprovação do projeto da construção da usina do Paredão e a exploração do minério de manganês; iniciou a construção de BR 156, entre Macapá/Oiapoque; adquiriu embarcações para cargas e passageiros, rebocadores e lanchas; criou a Companhia de Eletricidade do Amapá e a Companhia de Água e Esgotos. A população em todo o Território do Amapá cresceu de 21.000 para 55 mil habitantes, e a cidade de Macapá conseguiu o laurel classificatório de 3ª cidade da Amazônia. No ano de 1956 Janary Gentil Nunes foi nomeado para a Presidência da PETROBRÁS, tendo desenvolvido excelente trabalho. Em 1958 foi nomeado Embaixador do Brasil na Turquia. Escreveu os livros: "Bandeira do Brasil', "Defesa dos Programas da Petrobrás" (1959) e "A Verdade sobre o Manganês do.Amapá" (1959), além de publicações de relatórios, conferências, programas e propostas.
Foi condecorado com 8 medalhas. Extraordinário administrador, que tinha como meta construir uma cidade na antiga área do Contestado e utilizou todos os meios para alcançar seus objetivos. Perdeu sua jovem esposa no ano de 1945, casando-se pela segunda vez com D. Alice Dea Carvão Nunes que lhe deu os filhos Guairacá e Rudá. Para a tristeza de seus amigos, e pioneiros do Amapá, veio a falecer no dia 15 de outubro de 1982, no Rio de Janeiro, aos 72 anos, deixando enlutados a sua segunda esposa e seus filhos Iracema, Janary, Guairacá e Rudá.
(Fonte: Livro Personagens Ilustres do Amapá Vol. I, de Coaracy Barbosa - edição 1997)

Um comentário:

  1. Janary Gentil Nunes fez parte de uma época em que ser político, neste país, era sinônimo de probidade, retidão de caráter no serviço público e também na família. Coisa que, infelizmente, se tornou rara em vários segmentos da sociedade e, freqüentemente, no segmento político atual. Pergunte você a qualquer pessoa, entre os antigos: quem foi Janary Gentil Nunes? O cidadão indagado poderá até não ter sido seu correligionário político, mas por certo, não terá o que falar contra a postura ética do então governador e deputado Janary Nunes. Toda minha vida de criança e adolescente ouvi meus avós, parentes, aderentes e amigos falarem bem de Janary (observem a intimidade com que já vou me acercando). Muito posteriormente, já na fase adulta, volto a ouvir o Osmar Melo (meu falecido marido, que Deus o tenha) se desmanchar em elogios a este cidadão que, além do mais, já havia se tornado personalidade popular, de domínio púbico, através da letra de um “ladrão” (estrofe) do “Marabaixo”. Portanto, não posso passar a data de 01 de junho, sem fazer referencias ao aniversário de nascimento desse personagem que ficou tão íntimo de nossa história durante a construção e organização política do Amapá, nas décadas de1940 / 50 e 60 (vide fatos histórios: governadores do Amapá). Sou de inteira convicção que, esse aspecto biográfico do caráter de Janary Nunes e de outros políticos do passado, deveria ser apresentado com mais ênfase a população contemporânea a qual não teve oportunidade de conhecer esses personagens que, atualmente, estão quase no anonimato. Dessa forma, se colocaria sob luz fatos que trazem verdadeiro orgulho da reminiscência política desta terra, como forma de compensação pelos desarranjos e desmandos que, com muita freqüência, são causados por alguns políticos atuais. Em 2012 será o centenário de nascimento desse cidadão da Amazônia e esse evento merece festa.
    Aos familiares e descendentes do saudoso Janary Gentil Nunes fica o nosso abraço de parabéns pela insigne data.

    ResponderExcluir

Foto Memória de Macapá: Pioneiros de Macapá

Trazemos para o Porta-Retrato foto compartilhada pelo amigo Luiz Pessoa, com imagens de um evento social e esportivo, no início dos anos...