sábado, 21 de janeiro de 2012

"Seu" Bandeira - Um Pioneiro da Saúde no Amapá

(Foto: Reprodução de livro)
Sebastião Bandeira do Espírito Santo – conhecido como “Bandeira” - nasceu no dia 1º de novembro de 1929, no Município de Arariúna, na ilha de Marajó, Estado do Pará, filho de Antônio Libânio do Espírito Santo e D. Flodoalda do Espírito Santo, trabalhadores na agricultura. Estudou no Grupo Escolar Castelo Branco e na Escola Comercial do Amapá. Fez o curso de Assistente de Enfermagem no Hospital São Camilo e posteriormente, o curso de Técnico em Enfermagem, em nível de 2.° grau. Chegou ao Amapá, no dia 26 de fevereiro de 1949, começando a trabalhar no Governo do Território do Amapá, na função de Auxiliar de Enfermagem, lotado no Hospital Geral de Macapá. Passou para o quadro de enfermeiros e designado para chefiar o Posto Médico da cidade de Amapá. No seu retomo foi servir no setor de doenças venéreas; trabalhou com o Dr. Alberto da Silva Lima no dispensário de Hanseníase. Conhecido pelo seu jeito de trabalhar "resmungando" uma música que ninguém sabia qual era, Sebastião Bandeira era procurado e preferido para um curativo ou uma injeção. Serviu durante anos seguidos no Hospital Geral, na sua função de enfermeiro. Participou da fundação da farmácia, localizada no Carmelo de Santa Terezinha, administrada pela igreja. Não participou da política partidária. Gostava de jogar uma "pelada" no Bairro do Trem. Casado com D. Raimunda Alberto do Espírito Santo, tiveram os filhos Alexandrina, Maria Angélica, Conceição, Maria de Nazaré, Maria das Graças, Maria José, José Tarcísio e Jeremias. Aposentou-se no ano de 1985, e montou um ambulatório onde continuou a desempenhar suas funções.
Em 2011 "uma enfermidade lhe tirou a força física e o discernimento já não estava tão claro. Nos últimos cinco meses de vida, tornou-se totalmente dependente dos cuidados dos filhos, da esposa dedicada e dos cuidadores de idosos."
Apesar de todas os cuidados médicos possíveis, “Seu” Bandeira faleceu em Macapá na terça-feira, dia 03 de janeiro de 2012, aos 82 anos, cercado do carinho da família.
Nossa homenagem póstuma, a esse personagem importante do Amapá.
Fonte: Lívro "Personagens Ilustres do Amápá Vol. II, de Coaracy Barbosa , edição de 1998.

Um comentário:

  1. Heloisa Helena Figueiredo Pereira23 de janeiro de 2012 20:47

    Merecida homenagem Janjão. Figura humana inesquecível, o Seu Bandeira.

    ResponderExcluir