quinta-feira, 12 de abril de 2012

O Pioneiro Júlio Batista de Araújo: o Mestre Júlio

Nascido no Rio de Janeiro, no dia 4 de julho de 1909, e tinha apenas 19 anos de idade quando foi trabalhar de ajudante de pedreiro numa firma encarregada da construção de pontes de concreto armado na rodovia Rio/Petrópolis; de1923 a 1927 exerceu a função de ajudante de carpinteiro; em 1928 foi contratado pela Prefeitura Municipal de Paraíba do Sul, no Rio de Janeiro, para a construção de pequenas usinas elétricas acionadas com sistema de "Rodas Peltou", em águas represadas ou açudes; de 1930 a 1935 trabalhou como encarregado das obras civis da Usina Hidroelétrica da Vila dos Pombos - RJ, Usina Hidroelétrica da Fonte; de 1935 a 1938 trabalhou para a Prefeitura de Sapucaí - RJ. No ano de 1938, indicado por empreiteiros de obras, ingressou na Panair do Brasil, Empresa de Transportes Aéreos, na construção do aeroporto Santos Dumont, sendo em seguida convidado para supervisionar as obras da Base Aérea de Val-de-Cans, administrada pelo Quartel-General do Exército americano, no período de 1941 a 1944. Júlio Batista de Araújo, com 35 anos de idade, passou a ser chamado de "Mestre Júlio", pela competência que demonstrava na direçào de mais de 600 homens e pelo trabalho profissional que exerceu em Val-de-Cans e na Base Aérea do Amapá. Estava na Base Aérea do Amapá, quando recebeu o convite do Capitão Janary Nunes, recém-nomeado Governador do Território, para assumir a funçào de mestre de obras na Divisão de Obras. Chegou a Macapá no mês de setembro de 1945, e em 2 de outubro do mesmo ano iniciou a construção de dez casas para Diretores das Divisões, a Praça Barão do Rio Branco e a residência governamental. Criou as equipes volantes compostas de 1 mestre de obras, 3 carpinteiros, 3 pedreiros, 2 pintores, 1 encanador, 1 eletricista e 10 ajudantes sob o comando e administraçâo de Mestre Júlio. Construíram o prédio da Rádio Difusora de Macapá, Hospital Geral, Presídio São Pedro no Beirol, Maternidade de Macapá, Escola Industrial, Mercado Central, Caixa D'água do Poço do Mato, Hotel Macapá, Colégio Amapaense, Piscina do Grupo Escolar Barão do Rio Branco, grupo de casas e residências da Av. Iracema Carvão Nunes e Escola Doméstica de Macapá. Mestre Julio fundou, com um grupo de operários, a Sociedade Beneficente dos Operários do Amapá em 27 de agosto de 1951. Participou ainda da construção da Igreja Nossa Senhora da Conceição, das sedes do Trem Desportivo Clube, do Esporte Clube Macapá e do Amapá Clube, do Estádio Glycério Marques e, finalmente, do conjunto residencial chamado de Vila Cuba, nas quadras existentes entre as Av. Procópio Rola e Raimundo Alvares da Costa e as ruas Jovino Dinoá e Leopoldo Machado. Recebeu o título de Honra ao Mérito, oferecido pelo Governador Jorge Nova da Costa.
Fonte: Livro "Personagens Ilustres do Amapá Vol. 1, de Coaracy Barbosa.

3 comentários:

  1. meu pai sebastião miranda, trabalhou com mestre julio na cosntrução de casas em macapa, disse que o mestre julio ensinou a ele a colocar o serrote afiado, e muito mais sobre ferramentas e madeiras, disse que ele era honesto, muito sabio e muito educado. passei hoje a manha façlando dele com meu pai que tem po anos e amei ver essa foto,vou mostrar ao papai. obrigado amigo

    ResponderExcluir
  2. Realmente meu pai amou esta terra assim que aqui aportou, formou familia, com raizes plantadas até hoje na av. feliciano coelho, no bairro do trem, onde residiu até sua morte. Contribiu na criação do território, assim como muitos outros pioneiros que são lembrados neste blog. Foi um pai exemplar, cidadão honesto, dedicado e correto com o seu trabalho,pontualidade inglesa, falava corretamente e onde chegava saudava as pessoas. Quando na rua saudava as pessoas levando a mão ao chapeu de feltro ( a moda antiga). A familia agradece pela homenagem. Obrigado!

    ResponderExcluir
  3. Meu avô Mestre Júlio, grande homem, digno de todas as honras.

    ResponderExcluir