sexta-feira, 20 de julho de 2018

Foto Memória de Macapá: Vista aérea da esquina da Av. Feliciano Coelho com a Rua Jovino Dinoá - Bairro do Trem

(Clique na imagem para ampliá-la)
Nossa foto Memória de hoje, apresenta uma imagem rara, de 1959, a partir da torre da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, bairro do Trem, evidenciando a esquina da Av. Feliciano Coelho com a Rua Jovino Dinoá, antes dessa ser traçada e antes de ser erguido o muro do terreno do antigo Grupo Escolar Alexandre Vaz Tavares.
Ao fundo da imagem os bairros do Buritizal e Santa Rita.
Observem, também, que ainda não havia sido construído o antigo Cine Teatro Paroquial.
Para identificar os demais imóveis contamos com a ajuda do amigo e contemporâneo radialista José Barros Machado, brilhante jornalista de Macapá, que com sua memória privilegiada pode elucidar nossas dúvidas quanto aos primórdios do Barro do Trem.
Ele lembra que “na primeira casa, no sentido da Feliciano para Jovino Dinoá, (rumo à Escola Doméstica) morava o Sr. Jefferson Caffery Peckot Martins(popularmente conhecido como pecó - falecido em 1964), esposo da professora Oscarina que foi professora da primeira equipe do Alexandre Vaz Tavares, e na casa ao lado (a segunda no mesmo sentido),  morava outra professora do Alexandre Vaz Tavares, de nome Raimunda Silva.”
“Só pra lembrar,  o Sr. Peckot, era funcionário público da antiga Mesa de Rendas Alfandegada de Macapá (hoje Receita Federal) e foi proprietário do Salão Marajó, que funcionava na Av. Presidente Vargas com a Rua Jovino Dinoá, na subida para o antigo Bairro da Favela, terreno hoje ocupado por uma linda mansão”.
“Já na esquina oposta, do mesmo lado do Grupo Escolar, funcionava o Bar e Sorveteria do Seu Jonas”.
(Quer observar detalhes? Clique na imagem para ampliá-la)

Um comentário:

  1. Paulo Roberto Martel28 de julho de 2018 15:27

    “Na primeira casa, no sentido da Feliciano Coelho para a Rua Leopoldo Machado, (rumo à Sorveteria Santa Helena), morava o Sr. Jefferson Caffery Peckot Martins(pecó), esposo da professora Oscarina, terreno hoje ocupado por um Posto de Gasolina. Na casa ao lado (a segunda no mesmo sentido), morava o meu pai, o Senhor SIDNEY CARDOSO MARTEL(antigo funcionário já falecido da SUCAM, hoje FUNASA), e minha mãe ZENITH MIRA MARTEL, hoje moradora do Bairro Jardim Marco Zero. Morando hoje no mesmo local, minha irmã IRACEMA MIRA MARTEL e seu esposo o Advogado JORGE WAGNER COSTA GOMES.Logo após a casa de meu Pai, morava sucessivamente, os Senhores(as), Garrido/Alzira, João Batista/Nenê, Clóvis/Olga, Paulo/Raimundinha,Lázaro/Rosa, Delegado Oscar/Palmira, Wilson e esposa, Odérico/Pia, Antonio Torres e esposa e Bar do seu Ari, em frente a sorveteria santa helena.
    Do lado oposto da Av. Feliciano Coelho, esquina com a Jovino Dinoá, no sentido Loteria do Waldir Carrera, situava-se o Bar do seu Jonas, moravam sucessivamente neste sentido da Feliciano Coelho, o Sr. Brandão do bar do Brandão, Professor Espírito Santos, Sr. Tito, Lobo, Matias/Filó, Raimundo/Maria Araújo, Domingos Araújo, Custódio/Durvalina Martel e finalizando a Farmatrem do Waldir Carrera, em frente do Bar do Berrigudo pela Leopoldo machado, ande acontecia as famosas Batalhas de confete nos carnavais de outrora da Velha e boa Macapá".
    Muitos moradores e seu familiares ainda moram por lá, com seus filhos e netos, uns já faleceram e outros se mudaram para outro local da Cidade ou para outros Estados.

    ResponderExcluir